PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Chico Barney


No final das contas, quem se importa com a volta (ou não) do Fofocalizando?

Lívia Andrade no Fofocalizando (Reprodução/SBT) - Reprodução/SBT
Lívia Andrade no Fofocalizando (Reprodução/SBT) Imagem: Reprodução/SBT
Chico Barney

Chico Barney

Entusiasta e divulgador da cultura muito popular. Escreve sobre os intrigantes fenômenos da TV e da internet desde 2002.

Colunista do UOL

22/06/2020 20h33

Gostava muito do EGO, que era basicamente um portal de fofocas e notícias desimportantes perpetrado pela Globo na rede mundial de computadores. Aquilo era insano, alguns dos momentos mais selvagens do jornalismo de celebridades aconteceram lá.

Muitas personalidades da mídia, para usar um termo chique, pareciam existir apenas naquele endereço. É como um universo à parte, um panteão de heróis caídos, um Universo Cinematográfico da Marvel versão Barra da Tijuca.

Mulher-Melão, Andressa Urach e tantas outras figuras viveram o auge do reconhecimento popular naqueles tempos, graças à abordagem pitoresca da iniciativa editorial. E pareciam até só existir lá, pois o interesse do site em tais personalidades dava uma magnitude fora da verdadeira proporção que os fatos mereciam.

Tenho a impressão que os programas Fofocalizando e Triturando também pertencem a uma realidade muito própria, a dos sites e colunas especializadas em televisão, como esta aqui.

Não chegam a repercutir para fora da bolha, e na verdade é quase como se não existissem de fato —basta analisar os decadentes números de audiência.

O fascínio pelas empreitadas aleatórias do Silvio Santos com a grade do SBT faz com que emprestem alguma relevância a um produto que lembra o xampu que ganhei de aniversário, simplesmente não serve para nada.

Desta feita, é curioso notar o interesse que as pessoas têm por um programa que dificilmente assistirão um dia. Clicam na matéria apenas para saber qual foi a última emoção nos bastidores da emissora.

Um famoso experimento filosófico traz a seguinte questão: se uma árvore cai na floresta e ninguém está perto para ouvir, será que mesmo assim haveria algum som? Trata-se de uma discussão metafísica, com direito a sofisticadas perspectivas budistas a respeito da vida.

No varejo, serve também como explicação para a insistência do SBT. As decisões bizarras relacionadas ao Fofocalizando ajudam a garantir que alguns continuarão prestando atenção no tema, ainda que provavelmente com a TV sintonizada em qualquer outro canal.

Voltamos a qualquer momento com novas informações.

Chico Barney