Topo

Coluna

Leo Dias


Como 'riquinho' da TV ganhou fama de '171' e foi banido da elite

Bruno Maffei - Reprodução/Instagram
Bruno Maffei Imagem: Reprodução/Instagram
Leo Dias

Leo Dias é jornalista e diretor-executivo do "TV Fama", da Rede TV!. Foi correspondente internacional da rádio portuguesa RDP, passou pelas TVs Bandeirantes e RedeTV! e apresentou um programa na rádio FM O Dia, líder de audiência no Rio de Janeiro, onde entrevistava políticos, jogadores de futebol, dirigentes e muitos artistas. Assinou uma coluna de celebridades no jornal "O Dia" e também esteve nos jornais "Extra" e nas revistas "Contigo", "Chiques e Famosos", "Amiga" e "Manchete". Apesar dessa experiência, sempre se definiu como repórter, tamanha paixão pela apuração da notícia e pela vontade em produzir conteúdos exclusivos. Polêmico, controverso e dono de uma forte personalidade, Leo conquistou um público cativo por dar notas explosivas e audaciosas num mundo artístico mais conservador. Seu lema: "A fama tem um preço estou aqui para cobrar".

Colunista do UOL

19/11/2019 06h00

Resumo da notícia

  • Bruno Maffei foi participante da primeira edição do reality 'Alto Leblon', do canal E!
  • Segundo consta, Maffei é acusado de dar vários golpes e, por isso, ganhou fama de '171'
  • Ele era amigo de Gabriela Pugliesi, que o classifica como 'uma grande decepção de sua vida'
  • Procurado pela Coluna do Leo Dias, Maffei nega e pede: "Se alguém acha que eu devo, que bata na minha porta"
  • Por conta da má fama, Maffei é considerado 'banido' da elite carioca

Bruno Maffei foi apresentado em rede nacional na primeira edição do reality show "Alto Leblon", exibido pelo canal E! em 2017. Na época, muitos já o conheciam nas redes sociais como 'muso fitness'- com um corpo surreal, sem nenhum % de gordura e que andava junto aos narcisísticos mahamudras - ou também como 'melhor amigo de Gabriela Pugliesi'. O que poucos sabem é como o 'riquinho' apresentado na TV, que levava uma vida de celebridade e frequentava as mais badaladas festas do Rio de Janeiro, se tornou 'persona non grata', foi banido da elite carioca e ganhou fama de 'golpista' - o bom e velho '171' - sendo acusado por amigos desde vender bolsas falsas a ficar com a renda de eventos beneficentes.

Entre processos em segredo de Justiça e públicos, não é novidade para ninguém que Maffei tem as contas bloqueadas, inclusive com a herança da família. Ele tem ainda processos em bancos e já teve que responder processo por venda de bolsas caras falsificadas. Segundo consta, a tática da venda dele era: publicar uma foto de uma bolsa verdadeira, mas só entregar as falsas.

Maffei esteve longe da internet de abril a setembro deste ano, o que reforçou a convicção de ex-amigos que ele estaria fugindo das acusações. Ele voltou a postar no fim de setembro, mas com comentários limitados a amigos. De lá pra cá, o influencer mantém, digamos, um perfil discreto no Instagram, onde coleciona 454 mil seguidores. Para quem adorava se exibir, ele vem apenas com uma leve rotina de postagens, sem mostrar muito do seu dia a dia.

Sua ex-melhor amiga, Gabriela Pugliesi, procurada pela Coluna do Leo Dias para comentar sobre a fama de Maffei, resumiu com a seguinte declaração: "Foi a maior decepção que eu tive na minha vida. Não quero falar mais uma palavra sobre ele."

Pregando o bom jornalismo, a Coluna do Leo Dias procurou Maffei para explicar acusações, sumiço, e a fama de golpista. Para tudo, ele deu sua versão e uma bela de uma explicação. Disse que esteve internado nos últimos meses em uma clínica psiquiátrica onde estava se tratando de uma forte depressão. Doença causada, segundo ele, entre outros fatores, por diversos ataques de haters que teriam criado histórias a seu respeito.

Maffei assume que teve e tem problemas com a Justiça em relação a processos herdados após a morte de seus pais - e que ele prefere não dar detalhes por estar em segredo de Justiça - mas que ocasionaram no bloqueio de seus bens. Além disso relembra que teve problema com bolsas falsificadas, um fato, segundo ele, isolado, após a realização de um bazar, mas garante que tudo foi má interpretação dos fatos e já foi resolvido diretamente com a pessoa lesada.

Sobre qualquer outra acusação e o burburinho da 'fama de golpista', o influencer questiona: "Essas acusações são de fato sérias? Coloque uma pessoa aqui na minha porta para dizer que foi lesada, que me mostre o comprovante de que foi lesada, e que venha me cobrar por isso. Por favor, gostaria de ver apenas uma pessoa que faça isso. Uma mentira falada mil vezes acaba virando verdade e isso gera um grande impacto na vida da pessoa. Quero ver se existe de verdade alguma pessoa que esteja batendo na minha porta e me cobrando por algo, ou se isso é apenas um grande boato que rolou sobre mim."

O que se sabe é que, boatos ou não, Maffei foi obrigado a deixar a elite carioca, mudou de telefone, e perdeu a amizade com Gabriela Pugliesi, entre outros famosos que dividiam postagens com ele. De badalado e 'hypado' de um reality show que mostrava a boa vida de ricos do Leblon, o influencer não pode mais ser visto na noite carioca e sua 'má fama' só cresce.

*Com colaboração de Lucas Pasin

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Leo Dias