PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Leo Dias


Deborah Secco: "App de capítulos de novelas vão mudar a teledramaturgia"

Deborah Secco - Reprodução/Instagram
Deborah Secco Imagem: Reprodução/Instagram
Leo Dias

Leo Dias é jornalista e diretor-executivo do "TV Fama", da Rede TV!. Foi correspondente internacional da rádio portuguesa RDP, passou pelas TVs Bandeirantes e RedeTV! e apresentou um programa na rádio FM O Dia, líder de audiência no Rio de Janeiro, onde entrevistava políticos, jogadores de futebol, dirigentes e muitos artistas. Assinou uma coluna de celebridades no jornal "O Dia" e também esteve nos jornais "Extra" e nas revistas "Contigo", "Chiques e Famosos", "Amiga" e "Manchete". Apesar dessa experiência, sempre se definiu como repórter, tamanha paixão pela apuração da notícia e pela vontade em produzir conteúdos exclusivos. Polêmico, controverso e dono de uma forte personalidade, Leo conquistou um público cativo por dar notas explosivas e audaciosas num mundo artístico mais conservador. Seu lema: "A fama tem um preço estou aqui para cobrar".

Colunista do UOL

08/12/2019 06h00

A notícia do fim do tráfico de capítulos de novelas da Globo, após a criação de um aplicativo que restringe a distribuição do conteúdo escrito pelos autores a atores e equipe de produção, está dando o que falar, especialmente nas redações de publicações e sites especializados no assunto. A novidade, por enquanto restrita à produção de "Amor se Mãe", realmente promete ser revolucionária, e quem compartilha dessa opinião é a atriz Deborah Secco, que em breve estará no ar em "Salve-se Quem Puder", próxima novela das 19h.

"Isso vai mudar a teledramaturgia. A gente vai conseguir fazer suspense no último capítulo, de fato, pela primeira vez na vida.", diz a atriz, que ainda se mostra bastante admirada com a criação do aplicativo. "Nunca imaginei que fosse ver isso acontecer de verdade.", conta ela.

Mas, talvez, Deborah esteja comemorando antes do tempo. Jornalistas que cobrem Televisão não veem que o uso do app vá dificultar a cobertura das novelas e a descoberta de "furos" de próximas cenas. É o caso de Carla Bittencourt, da coluna "Telinha", do jornal Extra, que revela que nunca participou do "tráfico de capítulos". "Eu nunca comprei capítulo de novela. Nunca. Sempre os consegui com amigos meus da produção, do elenco.", diz ela, que conta que noticiar momentos importantes de uma novela nada tem a ver com ter os capítulos em mãos. "Eu dei o final de "Avenida Brasil" sem ter os capítulos. Passei muito tempo ao telefone, fui para a rua acompanhar gravações externas. No fim da "Força do Querer", também fui acompanhar gravação na rua. Assim, descobri que a Bibi [Perigosa, personagem de Juliana Paes], era presa.", revela.

Segundo a colunista, a falta dos capítulos só está preocupando jornalistas preguiçosos. "Quem é 'repórter raiz' não está desesperado, não. Eu não estou. Tenho bons amigos e vou conseguir dar as tramas como sempre dei.", diz Carla, que revela que nunca foi tarefa fácil obter os capítulos. "Sempre tive que me pendurar ao telefone, disparar mensagens, pedir, pedir, pedir. Nunca paguei e levei. A diferença, agora, é que vou ter que anotar as tramas ao invés de ler! (risos) Fiz isso no fim de "Espelho da vida", por exemplo. Não tinha capítulo, mas eu tinha amigos.", conta ela.

E gente disposta a falar sobre o que irá acontecer nos folhetins é o que não falta, de acordo com a colunista, que revela ainda que, às vezes, as informações vêm de onde menos se espera. "Já teve autor que me passou o final da própria novela, tá? Me mandou a nota pronta, inclusive!", finaliza Carla.

* Com colaboração de Geizon Paulo

Carla Bittencourt é colunista do jornal Extra: "Já teve autor que me passou o final da própria novela", diz. - Reprodução/Instagram
Carla Bittencourt é colunista do jornal Extra: "Já teve autor que me passou o final da própria novela", diz.
Imagem: Reprodução/Instagram

Leo Dias