PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Leo Dias


"Tardezinha" chega ao fim hoje e entra para a história da música brasileira

Thiaguinho encerra o "Tardezinha" neste domingo (15), com show no Maracanã - Reprodução/Instagram
Thiaguinho encerra o "Tardezinha" neste domingo (15), com show no Maracanã Imagem: Reprodução/Instagram
Leo Dias

Leo Dias é jornalista e diretor-executivo do "TV Fama", da Rede TV!. Foi correspondente internacional da rádio portuguesa RDP, passou pelas TVs Bandeirantes e RedeTV! e apresentou um programa na rádio FM O Dia, líder de audiência no Rio de Janeiro, onde entrevistava políticos, jogadores de futebol, dirigentes e muitos artistas. Assinou uma coluna de celebridades no jornal "O Dia" e também esteve nos jornais "Extra" e nas revistas "Contigo", "Chiques e Famosos", "Amiga" e "Manchete". Apesar dessa experiência, sempre se definiu como repórter, tamanha paixão pela apuração da notícia e pela vontade em produzir conteúdos exclusivos. Polêmico, controverso e dono de uma forte personalidade, Leo conquistou um público cativo por dar notas explosivas e audaciosas num mundo artístico mais conservador. Seu lema: "A fama tem um preço estou aqui para cobrar".

Colunista do UOL

15/12/2019 13h16

Todo carnaval tem seu fim e, neste domingo (15), o 'Tardezinha', espetacular projeto do cantor Thiaguinho, encara sua 'Quarta-Feira de Cinzas', depois de pouco mais de quatro anos de sucesso pelos quatro cantos do país. Hoje é, de fato, um dia histórico, memorável. E isso se deve não apenas porque o 'Tardezinha' faz sua grande despedida no maior estádio de futebol do Brasil, o Maracanã, ou porque o projeto vai atingir, com esse último show, a incrível marca de um milhão de espectadores. Esse domingo é histórico porque encerra um vitorioso ciclo, que se tornou um verdadeiro marco na história da Música Popular Brasileira.

Idealizado de forma despretensiosa em 2015, inicialmente para durar apenas quatro semanas, o 'Tardezinha' cresceu, a partir de uma fórmula, que foi traduzida em canção por Edson Conceição e Aloisio Silva, ainda na década de 70, e eternizada na voz da grande Alcione: não deixar o samba morrer. E foi isso que Thiaguinho fez com maestria com esse projeto ao resgatar, a cada edição, a história do samba, do pagode, na companhia de quem construiu essa estrada ou de quem, assim como ele próprio, bebeu nessa fonte. Isso em cinco, seis, sete horas direto, sem perder o pique.

Há que se ressaltar também outra característica que justifica a importância do 'Tardezinha': a de ter colocado o samba novamente na moda, especialmente entre as classes mais altas, que, normalmente, torciam um pouco o nariz para o gênero. Some-se a isso, o fato de a festa ter atraído celebridades, como o jogador Neymar, a atriz Bruna Marquezine e o casal Luciano Huck e Angélica, o que fez com que, mais que um evento de samba, o 'Tardezinha' se tornasse um sonho de consumo, um símbolo de status. Estar lá era estar onde a vida acontecia. Ninguém queria ficar de fora.

Apesar de ter sido oficializado como evento há quatro anos, o espírito do 'Tardezinha' sempre esteve presente na carreira de Thiaguinho de forma informal, antes até de ele conhecer o "Fama", programa que o jogou sob os holofotes, e a fama, conquistada a partir da revolução que sua presença no Exaltasamba provocou. Essa ideia de disseminar o pagode, de defender o samba e enaltecer grandes ídolos, como Belo, Alexandre Pires, Os Travessos e Raça Negra, faz parte das apresentações de Thiago desde os tempos em que ele tocava em Presidente Prudente, com cachê de módicos 15 reais.

"Tardezinha" termina com a marca de um milhão de espectadores em pouco mais de quatro anos de existência do evento - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
Imagem: Reprodução/Instagram

O 'Tardezinha' chega ao fim em seu auge, em uma acertadíssima decisão de Thiaguinho. Primeiramente porque tudo que se encerra no ápice ganha uma aura mítica, se eterniza no tempo. Segundo, porque é preciso seguir adiante. Mais que isso, é preciso inovar, o que está nos planos do cantor, que planeja gravar um álbum em espanhol e trabalhar a turnê de seu mais recente álbum, "Vibe", além de promover shows acústicos em teatros Brasil afora.

Certamente, o 'Tardezinha' vai deixar saudades, mas ele se vai sem deixar seus fãs tão órfãos assim. Isso, porque o "pagodão" de Thiaguinho abriu portas para outros projetos do gênero, como o 'Resenha do Mumu' e o 'Ferrugem em Casa', comandados, respectivamente, pelos pagodeiros Mumuzinho e Ferrugem. Thiaguinho fecha hoje um ciclo, mas, quem é que disse que, daqui uns anos, ele não possa resolver promover um revival arrebatador do 'Tardezinha', hein? Sandy & Junior, que, depois de 12 anos separados, fizeram a maior e mais lucrativa turnê do país, estão aí para provar que nada é impossível.

* Com colaboração de Geizon Paulo

"Tardezinha", de Thiaguinho, entrou para a história da Música Popular Brasileira - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
Imagem: Reprodução/Instagram

Leo Dias