PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Leo Dias


Os bastidores do Troféu Domingão - Melhores do Ano: o que ninguém contou

Fausto Silva no comando do Troféu Domingão - Melhores do Ano 2019 (Reprodução / Globo) - (Reprodução/Globo)
Fausto Silva no comando do Troféu Domingão - Melhores do Ano 2019 (Reprodução / Globo) Imagem: (Reprodução/Globo)
Leo Dias

Leo Dias é jornalista e diretor-executivo do "TV Fama", da Rede TV!. Foi correspondente internacional da rádio portuguesa RDP, passou pelas TVs Bandeirantes e RedeTV! e apresentou um programa na rádio FM O Dia, líder de audiência no Rio de Janeiro, onde entrevistava políticos, jogadores de futebol, dirigentes e muitos artistas. Assinou uma coluna de celebridades no jornal "O Dia" e também esteve nos jornais "Extra" e nas revistas "Contigo", "Chiques e Famosos", "Amiga" e "Manchete". Apesar dessa experiência, sempre se definiu como repórter, tamanha paixão pela apuração da notícia e pela vontade em produzir conteúdos exclusivos. Polêmico, controverso e dono de uma forte personalidade, Leo conquistou um público cativo por dar notas explosivas e audaciosas num mundo artístico mais conservador. Seu lema: "A fama tem um preço estou aqui para cobrar".

Colunista do UOL

16/12/2019 20h26

O "Troféu Domingão - Melhores do Ano 2019" agitou esse domingo na TV e nas redes sociais, onde foi um dos assuntos mais comentados no Twitter, mas, apesar de todos os premiados já serem conhecidos, a Coluna Leo Dias aquilo que a transmissão não mostrou e pouca gente viu.

Logo na chegada, na famosa Portaria 3, por onde atores e atrizes adentram os Estúdios Globo, uma cena desconcertante: burocracia para a entrada dos indicados acompanhados de seus convidados, que tinham que se cadastrar na portaria para acompanhar a premiação. Numa pequena fila, Armando Babaioff, Renata Vasconcellos e, em seguida, Jesuíta Barbosa aguardavam a liberação, quando, na verdade, deveriam ter livre passagem, afinal eram algumas das estrelas da noite. Um dos funcionários chegou a perguntar qual era o número da matrícula de Renata para agilizar a entrada da jornalista.

Já dentro dos Estúdios Globo, um fato curioso: a imprensa, convidada para a cobertura da festa, ficou restrita a um espaço próximo da premiação, com um televisor e sem qualquer contato visual com o estúdio onde os premiados eram anunciados por Faustão ou com a área onde os indicados aguardavam tal anúncio. A diferença dos jornalistas para quem assistia de casa era apenas os comes e bebes servidos e a chance de entrevistar os vencedores em coletiva por nada muito além de cinco minutos. Dava o tempo, e uma assessora já puxava o premiado de volta para o salão dos indicados.

Jesuíta Barbosa, Renata Vasconcellos e Armando Babaioff tiveram dificuldades para entrar nos Estúdios Globo antes de participarem do Troféu Domingão - Reprodução/Instagram
Jesuíta Barbosa, Renata Vasconcellos e Armando Babaioff tiveram dificuldades para entrar nos Estúdios Globo antes de participarem do Troféu Domingão
Imagem: Reprodução/Instagram

Estranho é que na edição anterior do Troféu, a Imprensa teve mais acesso, inclusive a quem não levou a estatueta. Alocados em uma parte reservada da área onde estavam os concorrentes ao troféu, os jornalistas tinham a chance de conseguir uma entrevista exclusiva com qualquer um dos indicados, não apenas os vencedores, e, também, de observar detalhes que escapam à transmissão, como a decepção de Juliana Paes ao perder o prêmio de "Melhor Atriz" para Paolla Oliveira, após sua Bibi Perigosa conquistar o pais. Tornava a coisa mais real, mais verdadeira.

No mais, o troféu seguiu sem grandes surpresas, a maior delas Fabiula Nascimento, considerada o grande azarão entre Paolla Oliveira e Agatha Moreira, na disputa de "Melhor Atriz Coadjuvante". O restante foi tão previsível que, dos 14 premiados, dez foram cravados pelos dois ganhadores do bolão organizado pela Imprensa momentos antes do início da premiação, entre eles esse que escreve essa nota. Aliás, Kaysar Dadour, que levou o troféu de "Melhor Ator Coadjuvante", foi o único voto unânime na opinião dos jornalistas. Vale ressaltar ainda a correria no andamento da premiação nas últimas categorias para poder entregar a programação ao "Fantástico", o que aconteceu meia hora além do que o de costume.

* Com colaboração de Geizon Paulo

Vencedor na categoria "Melhor Ator Coadjuvante", Kaysar Dadour foi o único indicado com escolha unânime entre o bolão dos jornalistas - Estevam Avellar/Globo
Vencedor na categoria "Melhor Ator Coadjuvante", Kaysar Dadour foi o único indicado com escolha unânime entre o bolão dos jornalistas
Imagem: Estevam Avellar/Globo

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Leo Dias