PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Leo Dias


Ex-empresário de Jorge e Mateus desabafa: "Não pretendo prejudicá-los"

Marcos Araújo, ex-empresário de Jorge e Mateus - Reprodução/Montagem UOL
Marcos Araújo, ex-empresário de Jorge e Mateus Imagem: Reprodução/Montagem UOL
Leo Dias

Leo Dias é jornalista e diretor-executivo do "TV Fama", da Rede TV!. Foi correspondente internacional da rádio portuguesa RDP, passou pelas TVs Bandeirantes e RedeTV! e apresentou um programa na rádio FM O Dia, líder de audiência no Rio de Janeiro, onde entrevistava políticos, jogadores de futebol, dirigentes e muitos artistas. Assinou uma coluna de celebridades no jornal "O Dia" e também esteve nos jornais "Extra" e nas revistas "Contigo", "Chiques e Famosos", "Amiga" e "Manchete". Apesar dessa experiência, sempre se definiu como repórter, tamanha paixão pela apuração da notícia e pela vontade em produzir conteúdos exclusivos. Polêmico, controverso e dono de uma forte personalidade, Leo conquistou um público cativo por dar notas explosivas e audaciosas num mundo artístico mais conservador. Seu lema: "A fama tem um preço estou aqui para cobrar".

Colunista do UOL

16/03/2020 14h12

O Festival Villa Mix é, de fato, o maior festival de música brasileira (e não limita-se ao sertanejo). A marca virou sinônimo de status e por todas as cidades onde passou foi um sucesso. Até mesmo no Rio, que tem tanto preconceito quanto ao ritmo musical número 1 do Brasil.

Mas, o Villa Mix era a mola que levantava todos os artistas da Áudio Mix. E, por mais de uma década, a empresa virou sinônimo de Jorge e Mateus, que neste mesmo tempo, deteve o maior cachê da música no país.

Só que o conto de fadas acabou e a parceria Áudio Mix e Jorge e Mateus terminou mal. Já existe um processo de mais de 30 milhões de reais e outro que pode surgir a qualquer momento num valor cinco vezes maior.

E aí? Dá pra imaginar um Villa Mix sem J&M?

Marcos Araújo, conhecido como "Marquinhos dos jatinhos", e que começou a vida distribuindo CD, mostrou que não alcançou o sucesso à toa.

Marquinhos foi direto negociar com seu inimigo número 1, o escritório Work Show, dono de Zé Neto e Cristiano, Henrique e Juliano, Maiara e Maraísa, e tantos outros. E a iniciativa de contratar Henrique e Juliano, soou, de fato, como provocação.

"Eu não posso ficar de maquiavélico numa situação que na verdade não existiu. Contratar alguém pra atrapalhar Jorge e Mateus? Jamais! Estou sim em uma demanda comercial do Jorge e Mateus. Mas não pretendo nunca prejudicá-los em nada. Sou grato a respeito tudo que conquistamos junto", disse.

Marquinhos contou ainda que para o festival de Goiânia, o principal do país, tentou outras contratações: "Então com a Work Show eu não só tentei contratar Henrique e Juliano mas também tentei Marília Mendonça e Zé Neto e Cristiano."

Leo Dias