PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Leo Dias


Dispensa de visagista da CNN Brasil gera medo por mais demissões

Redação da CNN Brasil - Reprodução
Redação da CNN Brasil Imagem: Reprodução
Leo Dias

Leo Dias é jornalista e diretor-executivo do "TV Fama", da Rede TV!. Foi correspondente internacional da rádio portuguesa RDP, passou pelas TVs Bandeirantes e RedeTV! e apresentou um programa na rádio FM O Dia, líder de audiência no Rio de Janeiro, onde entrevistava políticos, jogadores de futebol, dirigentes e muitos artistas. Assinou uma coluna de celebridades no jornal "O Dia" e também esteve nos jornais "Extra" e nas revistas "Contigo", "Chiques e Famosos", "Amiga" e "Manchete". Apesar dessa experiência, sempre se definiu como repórter, tamanha paixão pela apuração da notícia e pela vontade em produzir conteúdos exclusivos. Polêmico, controverso e dono de uma forte personalidade, Leo conquistou um público cativo por dar notas explosivas e audaciosas num mundo artístico mais conservador. Seu lema: "A fama tem um preço estou aqui para cobrar".

Colunista do UOL

27/03/2020 14h48

Recém-inaugurada, a CNN Brasil entrou no mercado bem no meio da crise causada pelo coronavírus, onde muitas empresas estão avaliando a dispensa de seus funcionários. Nesta quinta-feira (26), a emissora não renovou com a profissional responsável pelo visagismo e, de acordo com apuração da Coluna do Leo Dias, gerou medo de que isso pudesse ser o início de não-renovações em massa. Após a publicação dessa nota, a emissora mudou o posicionamento e disse que a profissional foi apenas substituída por outra.

Ainda de acordo com informações recebidas pela Coluna, uma funcionária que trabalhava coletando dados de mercado também teria sido demitida por falta de anunciantes. Há informações de outros funcionários demitidos por conta do não cumprimento de metas e números da emissora para este período inicial. O clima, de acordo com fontes da coluna, não é nada bom nos bastidores.

Ao ser procurada pela Coluna para comentar as demissões, inicialmente a assessoria de imprensa do canal não entrou em detalhes, mas disse que a visagista estava em 'contrato de experiência' pelo período de 90 dias, e que este contrato não foi renovado.

A CNN Brasil disse ainda, por meio de seu departamento de comunicação, que não fez nenhuma 'dispensa em massa': "Mais de 50 profissionais e os estagiários, por conta do coronavirus, estão colaborando por home office. Repórteres estão indo direto para as reportagens para evitarem o trânsito de profissionais na redação. Vamos contratar 45 profissionais temporários para reforçar a equipe."

Após a publicação desta nota, a CNN emitiu nova nota. A emissora disse que devido a pandemia do novo coronavírus está até contratando novos profissionais: "Com o objetivo de reforçar a equipe em meio à cobertura jornalística... Até a próxima semana, haverá contratações temporárias de 79 pessoas".

A CNN também alega, através da assessoria de imprensa, que a demissão da responsável pelo visagismo foi apenas uma substituição "por outro funcionário, fato corriqueiro em qualquer empresa após um ano de existência".

"Ademais, a CNN Brasil tem adotado todos os procedimentos necessários para proteger a saúde de seus colaboradores. De forma preventiva, 123 funcionários já foram colocados em trabalho remoto - inclusive o âncora William Waack", finalizou o canal em nota.

*Com colaboração de Lucas Pasin

Leo Dias