PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Leo Dias


Por que funkeiros quase não gravam DVD, ao contrário dos sertanejos?

Simone e Simaria durante novo DVD - Manuela Scarpa/Brazil News
Simone e Simaria durante novo DVD Imagem: Manuela Scarpa/Brazil News
Leo Dias

Leo Dias é jornalista e diretor-executivo do "TV Fama", da Rede TV!. Foi correspondente internacional da rádio portuguesa RDP, passou pelas TVs Bandeirantes e RedeTV! e apresentou um programa na rádio FM O Dia, líder de audiência no Rio de Janeiro, onde entrevistava políticos, jogadores de futebol, dirigentes e muitos artistas. Assinou uma coluna de celebridades no jornal "O Dia" e também esteve nos jornais "Extra" e nas revistas "Contigo", "Chiques e Famosos", "Amiga" e "Manchete". Apesar dessa experiência, sempre se definiu como repórter, tamanha paixão pela apuração da notícia e pela vontade em produzir conteúdos exclusivos. Polêmico, controverso e dono de uma forte personalidade, Leo conquistou um público cativo por dar notas explosivas e audaciosas num mundo artístico mais conservador. Seu lema: "A fama tem um preço estou aqui para cobrar".

Colunista do UOL

02/04/2020 10h41

Wesley Safadão anunciou para o próximo dia 18 a gravação de seu próximo DVD, durante uma live. Mas ...calmaê. Há sete meses o mesmo Wesley gastou rios de dinheiro na gravação de um DVD no Garota Vip Rio. O que explica essa produção em série?

Primeiro que o DVD do Rio não alcançou os objetivos esperados por Wesley. Nenhuma das canções alcançou o Top 50 do Spotify. Algo raro na carreira bem-sucedida de Safadão. Esse novo projeto nada mais é do que uma jogada de marketing. Ele deve inserir no máximo umas quatro músicas inéditas, bem diferente de um DVD normal, que vem com umas 15 canções novas.

Mas a dúvida que fica no ar é: por que os funkeiros quase não gravam DVDs e os sertanejos e forrozeiros estão sempre criando um novo trabalho em vídeo? Em toda carreira, por exemplo, Anitta e Ludmillla só gravaram um DVD cada. Enquanto Wesley vai pro seu sexto trabalho que une áudio e vídeo.

A resposta é simples: o funk é uma música muito mais perecível que o sertanejo e o forró. O tempo de "sobrevivência" do funk é muito menor que o sertanejo. Da mesma maneira que o funk estoura mais rápido, ele some mais rápido, e, por isso, se torna perecível.

Por isso que os funkeiros produzem muito mais clipes. Um clipe de funk, em média, custa R$ 20 mil. Isso, obviamente, tirando nomes como Anitta e Ludmilla, que investem pesado na produção de clipes. Já um DVD, em média, custa R$ 2 milhões.

Leo Dias