Topo

Coluna

Mauricio Stycer


Vilãs surpreendem no fim e novela deixa no ar possibilidade de 2ª temporada

"A Dona do Pedaço" terminou com este close em Josiane (Agatha Moreira) - Reprodução
"A Dona do Pedaço" terminou com este close em Josiane (Agatha Moreira) Imagem: Reprodução
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

23/11/2019 06h01

O capítulo final de "A Dona do Pedaço" não foi melhor nem pior que os demais 160. Nem teria como ser diferente. Uma novela criada às pressas, em duas ou três semanas, com personagens mal construídos, diálogos pobres e situações absurdas não iria se salvar nos seus últimos 75 minutos.

O desfecho de Maria da Paz (Juliana Paes), a protagonista que não protagonizou nada, foi o clássico final feliz. Ao lado de Amadeu (Marcos Palmeira), o primeiro amor de sua vida, ela curtiu o nascimento de uma nova filha, a menina Sol.

A destacar apenas que Walcyr Carrasco iluminou o casal "principal" com um rompante de sabedoria e eles deram um jeito de impedir, por vias legais, que Josiane (Agatha Moreira) herdasse automaticamente os seus bens.

O final de Vivi Guedes (Paolla Oliveira) conseguiu ser pior do que o restante de sua trama. Após se submeter a um policial psicopata, Camilo (Lee Taylor), a influenciadora digital terminou numa praia deserta ao lado de um matador de aluguel, Chiclete (Sérgio Guizé). Abriu mão do que gostava de fazer, da independência e da sua força pelo amor por um pistoleiro, que não pagou pelos crimes que cometeu. Sinistro.

Agno (Malvino Salvador) e Leandro (Guilherme Leicam) se beijaram tão rapidamente que quem piscou os olhos na hora perdeu a cena. Kim (Monica Iozzi) não apenas carregou o cretino do Teo (Rainer Cadete) para o exterior, como o beijou. Rock (Caio Castro) virou campeão de boxe e casou com Joana (Bruna Hamú) em questão de segundos. Vários personagens foram esquecidos e nem mereceram finais.

O autor surpreendeu, é verdade, com os desfechos das duas vilãs principais, Fabiana (Nathalia Dill) e Josiane (Agatha Moreira). O flerte de ambas com a religião acabou se revelando como hipocrisia pura.

Fabiana (Nathalia Dill) terminou a novela cometendo assassinatos e rezando - Reprodução
Fabiana (Nathalia Dill) terminou a novela cometendo assassinatos e rezando
Imagem: Reprodução

A primeira abandonou o convento pela segunda vez para se associar com o matador de aluguel Rael (Fafael Queiroz). Terminou a novela cometendo assassinatos, mas fazendo questão de rezar após cada morte.

A segunda, após deixar a prisão, convertida por um pastor protestante, mostrou que continua com o demônio no corpo. O panaca do Régis (Reynaldo Gianecchini), igualmente convertido, morreu após ser empurrado do alto de um viaduto pela falsa missionária. E ela vislumbrou num flerte com outro empresário evangélico, vivido por Mateus Solano, a possibilidade de continuar dando golpes.

A novela terminou justamente num close de Josiane, com olhar demoníaco, nos ameaçando e sugerindo que, caso a Globo queira, Walcyr Carrasco pode nos oferecer uma segunda temporada de "A Dona do Pedaço". Medo.

* * *
Ouça o podcast UOL Vê TV, a mesa-redonda sobre televisão com os colunistas Chico Barney, Flávio Ricco e Mauricio Stycer. Os podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas de áudio.

Siga a coluna no Facebook e no Twitter.

Mauricio Stycer