PUBLICIDADE
Topo

Afastamento não explicado de Lívia Andrade do Fofocalizando é a cara do SBT

Lívia Andrade publicou esta imagem após ser afastada do "Fofocalizando" na sexta-feira (27) - Reprodução
Lívia Andrade publicou esta imagem após ser afastada do "Fofocalizando" na sexta-feira (27) Imagem: Reprodução
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

28/03/2020 14h22

Programa do SBT que gera mais fofoca sobre ele próprio do que sobre famosos, o "Fofocalizando" foi ao ar nesta sexta-feira (27) com uma nova apresentadora, Chris Flores, no lugar de Lívia Andrade. O que aconteceu? Ninguém sabe.

A emissora confirmou oficialmente o afastamento de Lívia, sem informar o motivo e o prazo. A própria apresentadora escreveu em seu perfil no Twitter: "Não vou inventar uma doença, um sintoma pra me isolar, uma licença-maternidade ou qualquer outra mentira! É o que é, estou afastada temporariamente do programa e no momento não vou dar detalhes! Torço pelo #FofocalizandoNoSBT e não gostaria de ver vocês atacando ninguém no SBT."

A decisão está sendo atribuída a Silvio Santos, mas há diferentes relatos, nos bastidores, sobre o que levou o dono do SBT a tomar esta atitude. O que aconteceu exatamente? O caso é muito revelador sobre como funciona uma das maiores emissoras do país.

Vamos aos fatos conhecidos.

Em 19 de março, durante o "Fofocalizando", numa interação com Carlos Nascimento, Lívia disse: "Você falou agora sobre os cultos que foram suspensos. Infelizmente, a gente tem relatos, imagens de líderes religiosos usando esse momento, infelizmente, para ganhar muito dinheiro. Eu cheguei a ver que uma das igrejas tá vendendo álcool em gel ungido por R$ 500. Isso é real, eu vi essa imagem, eu estou chocada".

Lívia, como se sabe, reproduziu uma fake news. É um erro grave. Não deveria fazer uma acusação grave sem um bom embasamento. Mas a apresentadora, ao menos, teve o cuidado de não citar o nome da igreja que estaria vendendo o tal álcool gel ungido. E se corrigiu o mais rápido possível.

No dia seguinte, 20 de março, Lívia falou. "Ontem, eu disse aqui no 'Fofocalizando' que líderes religiosos estavam querendo ganhar dinheiro no meio dessa pandemia do coronavírus. Mesmo sem citar nomes ou instituições religiosas, algumas pessoas se sentiram ofendidas. Até porque está existindo aí uma fake news envolvendo a Igreja Universal. Eles estariam vendendo álcool em gel na igreja por R$ 500. Fizeram montagens de vídeos e fotos também. Mas está sendo provado que a Igreja Universal não está fazendo isso. Então, eu quero pedir desculpas para essas pessoas que se sentiram ofendidas".

Corrigido o erro, Lívia prosseguiu e criticou novamente "essa galera que tenta ganhar dinheiro com a boa-fé das pessoas": "O mais importante neste momento é a gente ficar junto nessa luta contra o coronavírus e continuar tendo muito cuidado com essa galera que tenta ganhar dinheiro, sim, com a fé, com a boa-fé das pessoas. E o oportunismo neste momento de desespero que a gente tá cansado de ver por aí. Mas essa notícia da Universal é fake".

A apresentadora voltou ao comando do "Fofocalizando" na semana seguinte. Trabalhou de segunda (23) a quinta (26), normalmente.

Na madrugada de quinta, uma semana depois do erro cometido por Livia, Renato Cardoso, bispo da Universal, genro de Edir Macedo, e apresentador de programas religiosos na Record, publicou um vídeo em sua conta no Instagram com críticas a ela.

O vídeo tem uma peculiaridade. Ao reproduzir a fala de Lívia, que não cita a Universal, foi inserida a imagem falsa que atribui à igreja a venda do tal álcool em gel ungido. Alguém que não tenha visto o "Fofocalizando" pode pensar, erradamente, que a montagem foi feita pelo programa do SBT.

Após ouvir a retratação da apresentadora, Cardoso agradeceu a "meia desculpa", mas criticou: "Você, infelizmente, não reconheceu o seu erro. Você não reconheceu que espalhou uma notícia sem verificar. Uma notícia maldosa. Você pediu desculpas às pessoas que se sentiram ofendidas, mas não pediu desculpas à Universal, não pediu desculpas aos pastores, aos líderes da Universal, que foram os principais manchados com esta notícia falsa".

O vídeo de Renato Cardoso teve 190 mil visualizações no Instagram e, nos bastidores do SBT, muita gente acredita que chegou aos smartphones das filhas de Silvio Santos.

Na sexta-feira (27), uma semana depois do pedido de desculpas, Lívia foi afastada do programa. Um fato desta natureza, no SBT, só ocorre por decisão final do dono. Isso é indiscutível. Menos claro é o que levou Silvio Santos a tomar esta atitude.

Segundo quem conhece os hábitos do patrão, Silvio assiste religiosamente ao "Fofocalizando". Logo, viu Lívia cometer um erro no dia 19 e pedir desculpas no dia 20. E não fez nada.

Tudo indica que foi o vídeo de Cardoso, com uma montagem, que mudou a situação de Lívia. Silvio, aparentemente, quis dar uma satisfação a Edir Macedo. Há quem acredite, também, que o dono do SBT cedeu a pressões familiares. E com a sua decisão, beneficiou Mara Maravilha, que voltou ao programa.

Mauricio Stycer