PUBLICIDADE
Topo

Nunca houve uma guerra de fã-clubes em novelas como em "Totalmente Demais"

Mauricio Stycer

Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

29/06/2020 15h26

Exibida originalmente entre 9 de novembro de 2015 e 30 de maio de 2016, a trama de Rosane Svartman e Paulo Halm está produzindo alguns fenômenos curiosos ao ganhar "edição especial" nesta pandemia.

"Totalmente Demais" foi muito bem-sucedida em sua exibição original e credenciou a dupla de autores a continuar escrevendo para o horário. Três anos depois eles fizeram a excelente "Bom Sucesso".

A primeira novidade desta reprise é a audiência. A novela está com números melhores do que na exibição original. É um fenômeno único nesta fase de reprises. Uma das explicações é que, por causa da quarentena, há mais gente assistindo televisão hoje.

Outra razão é o fato de a novela ter sido lançada, em 2015, no período que é considerado o mais difícil para qualquer folhetim: fim de ano, festas, verão. É um momento em que o número de aparelhos ligados cai - as pessoas saem mais de casa. E a audiência é menor.

Mas o maior fenômeno de Totalmente Demais é a guerra de torcidas e fã-clubes por dois casais da novela. Eu sou da época em que se falava fã-clube. Hoje o termo é outro. Os jovens "shipam" casais. Abrasileirado, o verbo "shipar" deriva da palavra "relationship", em inglês.

A heroína da história, uma Cinderela moderna, é Eliza, vivida por Marina Ruy Barbosa. Jonatas (Felipe Simas) é o jovem que cuidou dela inicialmente quando ela chegou à cidade grande. Já Artur (Fabio Assunção) é o homem maduro que ofereceu a Eliza a chance de se tornar uma modelo famosa e bem-sucedida.

"Joliza" são os fãs do casal formado por Jonatas e Eliza. E "Arliza" são os fãs do casal Artur e Eliza. Durante a exibição da versão original da novela, as duas torcidas empolgaram as redes sociais. E brigaram bastante entre elas.

A escolha de Eliza só foi anunciada no último capítulo, mantendo a audiência ligadíssima até as últimas cenas. A Cinderela ficou com Jonatas.

Nesta reprise, os fãs do casal Arliza começaram um movimento pedindo a gravação de um novo final para a novela. Até seria uma boa ideia, já que novela é uma obra aberta. Mas em tempos de quarentena, nem pensar. A pressão foi tão grande que Rosane Svartman teve que ir às redes sociais dizer que não vai dar.

"Aos que me pedem para mudar o final de #TotalmenteDemais em várias redes sociais. Obrigada pelo engajamento e afeto pela trama, mesmo, mas não existe a possibilidade de gravar cenas, mudar alguma coisa. E mais, eu não participo da edição desta versão. Sou espectadora, como vocês", escreveu ela.

Uma pena. Eu também sou do time Arliza.

Mauricio Stycer