Coluna

Ricardo Feltrin

Globo e amigos querem que Fábio Assunção faça tratamento fora do Brasil

Divulgação/TV Globo
Fábio na pele do personagem Arthur, em "Totalmente Demais". Imagem: Divulgação/TV Globo
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

28/06/2017 08h43Atualizada em 29/06/2017 12h44

Conhecida por dar todo apoio a seus funcionários em momentos difíceis, a TV Globo acenou novamente com oferta de ajuda a Fábio Assunção, que foi detido no fim de semana depois de se envolver em um incidente na cidade pernambucana de Arcoverde.

Vídeos divulgados na internet exibiam o ator em um estado transtornado. Ele nega ter feito uso de qualquer droga ilegal.

Independentemente do problema que ele estiver atravessando, a emissora já informou que oferecerá todo apoio em um eventual  tratamento; nos últimos dez ele teve problemas recorrentes com drogas e álcool.

No próximo dia 6 ele estreia na série "A Fórmula", na Globo

Segundo a coluna apurou, não só a emissora mas também alguns amigos (os mais preocupados) querem que ele passe uma temporada fora do Brasil. A sugestão da Globo é uma famosa clínica localizada no interior da Argentina.

A emissora já enviou para tal clínica não só outros funcionários com problemas de dependência química, mas também  parentes que tiveram problemas semelhantes.

Só que há uma pré-condição: a clínica é considerada “linha duríssima”. Uma vez que o paciente assina documento aceitando ser tratado, terá de obedecer a uma série de regulamentos internos.

Entre as normas está um período mínimo de internação de um ano. No começo do tratamento, inclusive, por vários meses, são proibidas inclusive visitas, seja de familiares, pais, mães, amigos, irmãos ou namoradas.

O controle de visitas é total: quando são aceitas, todas (inclusive pais) são submetidos a uma revista completa.

Alguns amigos do ator Globo acham que o melhor que ele poderia fazer seria essa temporada em retiro. Por outro lado, segundo esta coluna apurou, há parentes e amigos de Fábio que até hoje acham que ele não tem problema nenhum e que não precisa se tratar em nenhum lugar com longa internação.

A decisão, no entanto, só cabe a ele.

LONGO HISTÓRICO

Fábio Assunção chegou a se internar em algumas clínicas nos últimos 10 anos. Ele se internou em locais na região metropolitana de São Paulo, no interior do Estado e até no Arizona, EUA.

Nesta última, da primeira vez ficou por apenas 40 dias. Retornou ao Brasil, recaiu nas drogas e retornou lá para se internar. Ficou mais cerca de dois meses e abandonou novamente o tratamento.

Depois fez outras tentativas, mas nunca recebeu alta de fato. Em uma das últimas vezes, se recusou a prosseguir o tratamento porque a clínica insistia que ele continuasse mais alguns meses sem receber visitas de parentes.

O ator se recusou.

NINGUÉM SABE 

Embora muita gente esteja afirmando que Fábio recaiu no uso de cocaína em Arcoverde, ao menos um médico paulista especializado em adicção, ouvido pela coluna ontem (sob anonimato), disse não ter essa certeza.

O problema, segundo o especialista, é que se alguém misturar álcool e algumas substâncias controladas --inclusive algumas que são usadas justamente no tratamento contra o vício-- essa mistura pode levar a episódios de surto como o que ele teve.

Em comunicado depois do incidente, o ator da Globo declarou que não fez uso de nenhuma substância ilegal. Ele também disse estar muito envergonhado com o episódio.

Conforme o site Notícias da TV informou ontem, em nenhum momento a Globo acenou com qualquer tipo de punição ou ultimato ao ator por causa de seu problema.

Historicamente não é assim que a emissora age nesses casos.

O funcionário do hospital em Arcoverde que filmou o ator transtornado durante o atendimento foi demitido.
 

Leia também:

Amor "grudento" de Neymar precipitou fim do namoro com Bruna Marquezine

Celeiro de atores, "elenco de "Malhação" tem salários achatados pela Globo

colunista no Twitter, no Facebook ou no site Ooops

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Topo