Coluna

Ricardo Feltrin

Sondado pela Record, Marcello Antony pede R$ 150 mil; emissora desiste

Raquel Cunha/Divulgação/TV Globo
Laila (Laila Garin) e Jorginho (Marcello Antony) contracenam na novela "Rock Story" Imagem: Raquel Cunha/Divulgação/TV Globo
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

20/07/2017 11h39Atualizada em 20/07/2017 18h22

Emissários da Record sondaram o ator Marcello Antony semanas atrás. O objetivo era contratá-lo por um período fixo de ao menos dois anos, segundo esta coluna apurou.

Assim como Maitê Proença (também procurada pela emissora no mês passado),  Antony decidiu pedir alto: algo em torno de R$ 150 mil mensais.

A emissora considerou a pedida “irreal” para a situação econômica atual no país, e parou imediatamente as conversas. Nem mesmo tentou fazer uma contraproposta.

Os últimos trabalhos de Antony, 52 anos, na Globo foram uma participação em “Rock Story” e um papel em “Malhação” (atualmente no ar).

O ator tem mais de 15 novelas globais no currículo e é hoje contratado por obra --assim como boa parte do elenco da Globo.

Essa não é a primeira vez que a Record sonda o ator. Cerca de dois anos atrás ele também foi alvo de uma investida, mas também teria feito exigências financeiras demais, segundo fontes ouvidas.

No mês passado, a emissora também tentou atrair Maitê Proença para o elenco da novela “Apocalipse”, que estreia em novembro.

Mas, a atriz teria pedido o dobro que Antony: R$ 300 mil mensais.

SALÁRIOS EM BAIXA

Com excesso de oferta de atores e cada vez menos emissoras investindo em dramaturgia, os salários de artistas na TV brasileira estão sendo achatados nos últimos anos.

Conforme esta coluna informou com exclusividade em 27 de junho, o elenco principal de “Malhação”, por exemplo, está recebendo  hoje de R$ 4.000 a R$ 4.500 mensais.

Sete anos atrás nenhum protagonista da novelinha recebia menos de dois dígitos.

Para cortar gastos, a Globo vem reduzindo sistematicamente o número de atores e atrizes com salários fixos. Essa medida se acentuou especialmente desde 2014.

A partir daí começou a “era dos contratos por obra”. Ou seja, o artista só recebe enquanto está no ar e não tem mais nenhum vínculo de exclusividade com a emissora. Esse seria o caso de Antony e Maitê, que, no entanto, descartaram os convites.

A coluna não conseguiu localizar o ator até a publicação desta reportagem. Se obtiver uma resposta, ela será incluída neste texto.

Leia também:

Xuxa cria empresa exclusivamente para cuidar da carreira de Sasha na moda

No país, das TVs abertas, só a Record cresceu no ibope em junho

colunista no Twitter, no Facebook ou no site Ooops

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Topo