PUBLICIDADE
Topo

Novo horário faz Jornal da Record disparar 50% no ibope

Adriana Araújo e Celso Freitas no Jornal da Record - Reprodução
Adriana Araújo e Celso Freitas no Jornal da Record Imagem: Reprodução
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

18/03/2020 06h03

Muita gente reclama que a TV aberta é péssima e que está morrendo no ibope por causa de mídias como internet e, mais recentemente, o streaming.

É até verdade, mas o "Jornal da Record" acaba de dar um exemplo de como uma emissora comercial pode melhorar seu desempenho apenas com uma simples mudança de horário de uma de suas atrações.

Isso está ocorrendo no caso do "Jornal da Record", segundo um estudo exclusivo obtido pela coluna.

O telejornal ancorado por Adriana Araújo e Celso Freitas era exibido até o fim de novembro do ano passado por volta das 21h30.

Em dezembro, a direção da casa o mudou para as 19h45.

O estudo em questão compara os 75 dias anteriores à mudança de horário com os 75 dias posteriores.

O resultado impressiona: o "JR" cresceu 50% em pontos de audiência e 62% na Grande São Paulo de um para o outro.

Passou da 3ª posição, e de uma média de 5,4 pontos de ibope e 7,6% de share até novemrbo, para a vice-liderança isolada com 8,1 pontos e 12,2% de share.

Sobre o share: significa que antes era visto por cerca de 7,6 em cada 100 TVs ligadas na Grande SP. Agora passou para mais de 12.

Cada ponto nessa medição, feita pela Kantar Ibope Media, vale por cerca de 74,5 mil domicílios sintonizados na região.

O que também chama a atenção é que o crescimento do "JR" coincidiu com uma perda de 23% no ibope da Globo (ainda líder folgada, com 28,9 pontos, é verdade); e 24% do SBT (agora 3º colocado com 6,5 pontos).

A RedeTV! perdeu mais ainda com essa mudança: 32% (caiu de 1,2 para 0,8 ponto).

OK, não dá para cravar aqui que os telespectadores migraram desses canais para a Record, mas definitivamente a mudança tática alterou a audiência não só de sua faixa, mas influiu numa melhora da Record nos programas subsequentes.

Sérgio Aguiar no "Jornal da Record" - Reprodução/Record TV
Sérgio Aguiar no "Jornal da Record"
Imagem: Reprodução/Record TV

No país

Acima falamos apenas da Grande São Paulo, o principal mercado da publicidade nacional.

No Painel Nacional de Televisão (15 maiores regiões metropolitanas do Brasil), os dados da Kantar Ibope também mostram um significativo aumento de público.

O "JR" passou de 6,3 pontos no horário antigo para 7,7 pontos no novo. Nessa medição cada ponto vale por cerca de 260 mil domicílios.

Também nessa faixa a ainda líder Globo perdeu pontos (-15%), assim como o SBT (-16%).

A mudança chegou ao ponto de, no mês passado, a Record ter encostado no SBT no mercado nacional, nas 24 horas do dia.

Isso a despeito de ter mais de três horas na madrugada de igreja Universal, quando seu ibope beira o traço.

Ou seja, mesmo com três horas perdidas a Record já ameaça a TV de Silvio Santos.

Ricardo Feltrin no Twitter, e site Ooops

Ricardo Feltrin