Topo

Famosos


"Engordar 35 quilos foi a melhor coisa que me aconteceu", diz ex-The Voice

Aila Menezes, que fez parte do time de Carlinhos Brown no reality, em sua nova fase - Reprodução/@ailamenezes
Aila Menezes, que fez parte do time de Carlinhos Brown no reality, em sua nova fase Imagem: Reprodução/@ailamenezes

Ana Cora Lima

Do UOL, no Rio

11/04/2019 04h00

Aila Menezes participou da segunda temporada do "The Voice Brasil", em 2013. Cantou "A Loba", de Alcione, abanou um leque vermelho no meio da apresentação para delírio da plateia e conseguiu virar a cadeira de Carlinhos Brown. Apesar de não ter ido muito à frente no reality show, já que saiu na fase das batalhas, a cantora passou a ser mais conhecida fora de Salvador e arredores.

Passados seis anos, Aila faz shows pelo Brasil e, ainda sem um disco gravado, ganhou notoriedade nas redes sociais por levantar a bandeira de aceitação e entendimento do corpo. Ela ganhou 35 quilos nos últimos três anos. O peso extra, ela conta, é resultado do fim de um ciclo de quase 15 anos de coquetel de remédios para tratar a depressão.

Aila participou do "The Voice 2013" no time de Brown. Saiu na fase das batalhas após perder para Marcos Lessa  - Reprodução/Instagram/@ailamenezes
Aila participou do "The Voice 2013" no time de Brown. Saiu na fase das batalhas após perder para Marcos Lessa
Imagem: Reprodução/Instagram/@ailamenezes
"Tive a minha primeira depressão com 11 anos de idade, tentei o suicídio aos 18 anos e até 2015 eu tomava medicação para tudo na vida. Para dormir, acordar, emagrecer, contra ansiedade, para não ficar triste e por aí vai. Resolvi parar, tive abstinência e engordei. Engordar 35 quilos foi a melhor coisa que aconteceu na minha vida", conta.

"Como eu posso odiar um corpo que é resultado da minha vitória e das minhas escolhas? Não faço apologia à gordura não. Defendo que as pessoas tenham amor-próprio e se aceitem sem se preocupar com os outros", completa.

Aila fala sobre a pressão por se enquadrar em padrões e rótulos com propriedade. Durante anos, ela disse ter sofrido de um distúrbio de distorção de imagem e, apesar de magra, sempre se via gorda.

"Fiz todas as dietas do mundo para emagrecer enquanto era magra. As pessoas diziam que eu estava ótima, mas eu não acreditava. Foi uma época bem difícil", diz a cantora que, hoje, diz não sofrer mais com cobranças e ataques nas redes sociais.

"Todos os dias recebo mensagens e comentários horríveis. Se eu não tivesse uma estrutura para lidar com isso, não tivesse anos e anos de terapia e não fosse tão feliz agora, teria sérios problemas. As pessoas são perversas. O outro lado disso é a quantidade muito maior de pessoas que se sentem representada por mim e vibram comigo."

Letras para mulheres

Aos 30 anos, Aila também se orgulha de completar 23 anos de carreira este ano. Ela começou a cantar com 7 anos em anúncios e eventos, ao mesmo tempo em que participava de competições como bailarina e atleta de ginástica rítmica.

"Sempre quis ser cantora. Em 2008, descobri a minha identidade sonora: o samba. O samba de roda, do Recôncavo, do partido alto e brinco nesse universo", diz ela, animada por ter composições gravadas por Daniela Mercury, Preta Gil, Ana Carolina entre outros.

"Eu gosto de compor letras sobre o universo da mulher, amores, movimentos de lutas e fé", afirma.

Aila, hoje com 35 quilos que engordou nos últimos 3 anos, e há 10 anos bem magra  - Reprodução/@ailamenezes/Montagem UOL
Aila, hoje com 35 quilos que engordou nos últimos 3 anos, e há 10 anos bem magra
Imagem: Reprodução/@ailamenezes/Montagem UOL