Topo

Novela

Topíssima


Expert em governantas, Claudia Mello repete profissão na Globo e na Record

Claudia Mello como a governanta Zu em "A Força do Querer" (2017) e como a Clementina em "Topíssima" (2019) - Globo/Estevam Avellar/Record/Divulgação/Montagem UOL
Claudia Mello como a governanta Zu em "A Força do Querer" (2017) e como a Clementina em "Topíssima" (2019) Imagem: Globo/Estevam Avellar/Record/Divulgação/Montagem UOL

Guilherme Machado

Do UOL, em São Paulo

01/06/2019 04h00

Claudia Mello emocionou e divertiu os espectadores em "A Força do Querer" (2017), seu último trabalho na Globo, na pele da carismática Zu, uma governanta e babá que era um alicerce para a patroa Joyce (Maria Fernanda Cândido) e os filhos Ruy (Fiuk) e Ivana (Carol Duarte). Agora, na Record, ela retorna ao horário nobre com outra governanta --e o desafio de fazer algo diferente.

Depois de uma participação especial em "Jesus" (2018), ela vive em "Topíssima" Clementina, que também tem um estilo amoroso e maternal com Sophia (Camila Rodrigues), sua patroa e protagonista da trama de Cristianne Fridman. Ao UOL, Claudia conta que tentou explorar diferentes nuances para diferenciar as duas personagens, feitas quase em sequência.

"Quis dar uma partitura diferente para a Clementina, mais humanizada. A Zu era toda certinha, eu tinha até um coach para isso, para corresponder àquela coisa dela mais séria. A Clementina é um pouco mais à vontade, justamente para diferenciar um pouco mais", conta.

"As duas são governantas, mas acho que estou conseguindo [diferenciar]. Acho que a autora sacou também, ela não carrega as tintas, ao contrário. Ela dá umas broncas, é engraçada".

Veterana nas telas, Claudia já havia interpretado uma personagem divertida com todo o estilo de governanta: a secretária Corina, do humorístico "Meu Cunhado" (2004), protagonizado por Ronaldo Golias no SBT.

A atriz, que brinca ser "café com leite" na Record, comemora a parceria com Camila Rodrigues. Para Claudia, o bate-bola ente as duas é essencial para a composição da personagem.

"A Camila é uma atriz estupenda. Eu me baseio na interação, ela me dá o subsídio. Ela às vezes apresenta, na própria gravação, um lado tão vulnerável que dá vontade de ser mãe um pouco dela, de cuidar. Ela passa coisas que eu vou aproveitando para despertar em mim essa coisa maternal. Às vezes é até inconsciente mesmo", relata.

Com longa experiência em comédia -- ela trabalhou, por exemplo, em todas as temporadas do humorístico " A Diarista" (2004-2007) --, Claudia Mello diz que sua nova governanta, que deve ter um envolvimento com Canarinho (Bemvindo Sequeira), não é propriamente uma personagem cômica, mas que sua experiência no humor tem ajudado bastante com os lados mais irônicos do texto.

"Comédia tem um tempo especial, quem tem que rir é quem assiste. Fiquei meio adestradinha, com esse timing", explica.

Topíssima