Topo

Novela

Bom Sucesso


Ator "suou frio" para declamar poesias no metrô em preparação para novela

O ator Igor Fernandez  - Gabriel Soares/Divulgação
O ator Igor Fernandez Imagem: Gabriel Soares/Divulgação

Guilherme Machado

Do UOL, em São Paulo

27/08/2019 04h00

Em Bom Sucesso, o talento de Luan para compor rimas o levou para o mundo do slam, uma forma de arte de rua que mistura poesia e performances. Quem anda de metrô com certeza já viu apresentações nesse estilo --o que levou o intérprete do personagem, Igor Fernandez, a se aventurar pelos vagões de trem, a fim de entender mais sobre como esses artistas vivem e trabalham. Entre um perrengue e outro, ele foi aprendendo a rimar em metrôs movimentados.

"Foi difícil. Estar no metrô fazendo o trabalho de arte dentro dos vagões é lidar com emoções diferentes do público. A gente tem que entrar sabendo que pode receber qualquer tipo de reação inesperada", conta ele, que começou a preparação dois meses antes do início das gravações da novela.

Nascido em Cataguases, no interior de Minas Gerais, Igor tinha os túneis e trilhos do metrô como uma realidade distante. E contou com a ajuda de alguns artistas de slam para conseguir se virar durante a preparação.

"[Os artistas] me ensinaram a pedir permissão sempre antes de começar a declamar. No final, todo o mundo acaba gostando, aplaudindo. Percebi que o que falam é muito sincero: só um sorriso já ajuda. Eu ia totalmente nervoso, suando frio, tremendo. E não pode errar, é ao vivo, tem que fazer bonito --até para conseguir o dinheiro e alcançar o coração do pessoal. Fiquei extremamente nervoso, mas, a cada dia que ia passando, ia ficando confortável, ia vendo do que as pessoas mais gostavam ou não, ia aprendendo as manhas", explica.

Por já ter alguma familiaridade com performances em espaços públicos, tendo vindo do circo, o ator diz que encontrou um pouco de facilidade para improvisar as rimas, mas também encarou as dificuldades do trabalho realizado por artistas de rua.

"Eu aprendi que os artistas se respeitam muito. Há regras entre eles. Por exemplo: se você já está rimando no vagão, o outro não pode chegar. Tem uma fila que os artistas esperam, para fazer o trabalho da melhor forma possível. Ao longo do tempo, quanto mais fui trabalhando e convivendo com essa galera, mais parecia que meus olhos iam se abrindo. Foi uma vivência que me transformou por dentro."

Quase galã

Igor Fernandez e Bruna Inocêncio são o casal Luan e Alice em Bom Sucesso - Globo/João Cotta
Igor Fernandez e Bruna Inocêncio são o casal Luan e Alice em Bom Sucesso
Imagem: Globo/João Cotta

No início da novela, Luan era o típico menino popular do colégio, que se envolveu com Alice (Bruna Inocêncio) e, depois, deixou-a a ver navios. A situação mudou quando a menina achou que estava grávida, e as famílias dos jovens se juntaram para discutir a situação.

"É um assunto que a gente vê aos montes, hoje em dia. Eu não estou vivendo essa fase mais, mas tudo está muito fresco na minha cabeça. Convivi com pessoas que estão há poucos anos casadas e com outras tiveram filhos no colégio."

Na história, seu personagem hesitou em aceitar a responsabilidade de ser pai, algo que o ator diz que jamais faria.

"Se fosse comigo, eu me assustaria, porque, como o Luan, sou muito sonhador. Tenho esse lado do garoto que quer conquistar as coisas. Só que obviamente eu teria que lidar com a situação. Nunca fugi da raia, então, se acontecesse, ia buscar a melhor forma de resolver. Há muitos problemas de abandono paterno, é uma falha grave que eu, com certeza, nunca cometeria. É uma covardia extrema", ressalta.

No final, a gravidez de Alice na novela era um alarme falso. Ainda assim, o acontecido teve impacto em Luan, que não só decidiu se reaproximar dela como também mostrou uma faceta mais madura.

Para o ator, que é só elogios para o elenco e a produção de Bom Sucesso, a primeira novela de sua carreira, a mudança do personagem é natural.

"Ele é simplesmente um ser humano, que cresceu sozinho e com uma mãe muito religiosa. É possível entender que ele tenha sido mimado e superprotegido, até mesmo que tenha umas nuances machistas. Mas essa mudança dele é um ato humano", opina.

Além de ator, Fernandez também é roteirista, tendo escrito e dirigido um curta-metragem chamado Borboletas no Caminho. Apesar de amar roteiro, ele diz que ainda não pensa em um dia se aventurar na escrita de textos de novelas.

"São histórias muito grandes, que envolvem muitos núcleos. É preciso respeitar o tempo real. Para decidir que quer escrever uma novela, você tem que estar com a vida muito louca", diverte-se.