PUBLICIDADE
Topo

Novelas


De mulher do bispo a prostituta: Day Mesquita é a atriz favorita da Record

Day Mesquita viverá uma prostituta em Amor Sem Igual - Blad Meneghel/Record
Day Mesquita viverá uma prostituta em Amor Sem Igual Imagem: Blad Meneghel/Record

Marcela Ribeiro

Do UOL, no Rio

07/12/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Day Mesquita viverá uma prostituta na nova novela da Record, Amor Sem Igual
  • Estreante na Record em 2014, Day se diz feliz por ser a aposta da emissora
  • Para o papel, Day Mesquita conversou com ex-garotas de programa

Após viver no cinema a mulher do bispo Edir Macedo no filme biográfico Nada a Perder: Contra Tudo, Day Mesquita tem o desafio de dar vida à prostituta Angélica "Poderosa" em Amor Sem Igual, próxima novela da Record que estreia dia 10 e é ambientada em São Paulo.

Aos 34 anos, Day estreou na emissora na série Milagres de Jesus (2014), mas foi em Os Dez Mandamentos (2015) que ela se destacou no papel da jovem Yunet e passou a ser a "menina dos olhos" da Record. A atriz também viveu Maria Madalena na novela Jesus (2018/2019), também da emissora.

"Não penso muito nesses rótulos, mas sou muito feliz de receber tantas outras oportunidades, desde os Dez Mandamentos, que foi minha grande primeira personagem aqui na casa. Foi dali que começaram a me ver de uma outra forma como atriz. Fico muito feliz com a parceria e a confiança que estão me dando", diz ela.

Day Mesquita em dois momentos: No longa Nada a Perder: Contra Tudo. Por Todos, no qual viveu Ester Bezerra, mulher de bispo Macedo e como Yunet na novela bíblica Os Dez Mandamentos - Reprodução/Record
Day Mesquita em dois momentos: No longa Nada a Perder: Contra Tudo. Por Todos, no qual viveu Ester Bezerra, mulher de bispo Macedo e como Yunet na novela bíblica Os Dez Mandamentos
Imagem: Reprodução/Record

Essa será a segunda protagonista da atriz. Em 2009, ela viveu a personagem principal, Eliana Vilela, em Vende-se um Véu de Noiva, no SBT.

Angélica, a Poderosa, é uma mulher que aparenta segurança, mas carrega consigo um passado triste. Aos 12 anos foi abusada sexualmente por um namorado da mãe. A mãe dela foi amante do empresário Ramiro (Juan Alba) e Angélica é fruto desse relacionamento. Ele sempre rejeitou a filha, mas uma doença o fará reaproximar dela.

Poderosa aprendeu a se virar sozinha e vê no trabalho de garota de programa uma forma de sobrevivência.

"Ela não vê outra alternativa da vida dela, ela foi abandonada, a mãe morreu e ela foi abusada pelas pessoas que cuidavam dela, então ela já vê os homens, a relação, em tudo um abuso. O corpo pra ela não é nada. Então ela começa a tirar proveito para sobreviver por conta disto, ela não vê outra escolha e nem consegue enxergar, não existe essa possibilidade", explica a atriz.

Recentemente, Day conversou com um grupo de ex-prostitutas e encontrou semelhanças entre sua personagem e as histórias de vida delas.

Elas deixaram de ser garotas de programa, mas uma das coisas que mais me impressionou é que quase todas com quem conversei me falaram que foram abusadas quando crianças até pela família. Isso era um ponto em comum [com a personagem]. Hoje elas estão ótimas e é muito bonito como elas falam.

Day Mesquita sobre conversa com ex-prostitutas

Durante o início e o fim do seu expediente em um posto de gasolina, Angélica esbarra com o agrônomo Miguel (Rafael Sardão), homem íntegro, que trabalha no Mercado Municipal de São Paulo. Ele se apaixona por Poderosa e os dois viverão um romance com alguns conflitos, já que a prostituta tem dificuldade em acreditar no amor.

"Ela não aceita o amor porque não entende que isto possa existir. Ela mesmo fala que não teve isto quando era criança, então pra ela o que é o amor? Ela é muito desconfiada porque teve que ser forte desde criança. Então acho que o Miguel vai suar um pouquinho pra tirar essa casca que ela tem."

Day Mesquita como Maria Madalena em "Jesus" - Edu Moraes/Record
Day Mesquita como Maria Madalena em "Jesus"
Imagem: Edu Moraes/Record

Acostumada a fazer novelas bíblicas na Record, Day diz que não está preocupada com possíveis críticas ou até preconceito por viver uma prostituta em uma novela contemporânea.

"Não estou aqui para agradar todo mundo, a gente faz o melhor e quer que todo mundo goste, mas sou feliz. O importante é que eu me divirta fazendo que estou fazendo", conclui.

Novelas