PUBLICIDADE
Topo

Televisão


Maquiador de Hebe se revolta com filme e lança livro sobre apresentadora

Hebe Camargo e seu maquiador, Edu Sacchiero  - Reprodução/Instagram/edu_sacchiero
Hebe Camargo e seu maquiador, Edu Sacchiero Imagem: Reprodução/Instagram/edu_sacchiero

Paulo Pacheco

Do UOL, em São Paulo

15/12/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Edu Sacchiero maquiou Hebe Camargo durante mais de dez anos e trabalhou com outros artistas, como Gugu Liberato
  • O profissional se revoltou com a cinebiografia sobre a carreira da apresentadora, mentirosa na opinião dele
  • Sacchiero decidiu contar boas histórias envolvendo Hebe, incluindo o dia em que ela o salvou da morte
  • O maquiador entrevistou ex-funcionários de Hebe e escreveu o livro Ela Salvou Minha Vida, que será lançado na terça, em São Paulo

Hebe Camargo (1929-2012) volta amanhã às segundas na TV, mas na Globo. Sua história será contada em um filme, editado a partir da série recém-lançada no Globoplay, plataforma de streaming da emissora (que, por sua vez, nasceu a partir de um filme com edição diferente deste que vai ao ar amanhã na Tela Quente). O longa-metragem que originou a série, porém, revoltou um dos principais parceiros da dama da televisão, o maquiador Edu Sacchiero.

O profissional, que trabalhou com Hebe durante mais de dez anos e também maquiou Gugu Liberato, reagiu ao filme estrelado por Andréa Beltrão escrevendo um livro. Ele colocou no papel todas as boas histórias da apresentadora com ele e com outros funcionários, na obra Ela Salvou Minha Vida, a ser lançada nesta terça-feira (17), na Livraria da Vila (zona oeste de São Paulo).

Andréa Beltrão no filme Hebe - A Estrela do Brasil - Divulgação
Andréa Beltrão no filme Hebe - A Estrela do Brasil
Imagem: Divulgação
"Fiquei dez anos com a Hebe e tenho um segredo que nunca contei para ninguém, poucas pessoas sabem. Depois do filme, que foi uma catástrofe, um filme horroroso, resolvi contar para o Brasil o quanto a Hebe foi um anjo da guarda na minha vida", conta o maquiador, ainda indignado com a cinebiografia. Na obra, Sacchiero relembra o dia em que, não fosse pela ajuda salvadora de Hebe, teria morrido.

Além da própria história, o maquiador de 41 anos apresenta depoimentos de antigos empregados de Hebe, do mordomo à secretária, com histórias curiosas e de gratidão à apresentadora.

Capa do livro Ela Salvou Minha Vida - Divulgação/Editora Leader
Capa do livro Ela Salvou Minha Vida
Imagem: Divulgação/Editora Leader
"O filme é mentiroso, aquela Hebe não existe. Ela nunca tomou uísque na vida dela, nunca. Chacrinha nunca foi ao programa dela e, no período em que eu trabalhei com ela, a Globo nunca liberou Roberto Carlos para ir. É um filme que não existe. É diferente do musical, em que eu me emocionava porque consegui vê-la. Não a vi no filme", critica.

A renda obtida com a venda será revertida ao GRAACC (Grupo de Apoio ao Adolescente e Criança com Câncer). O UOL teve acesso a outros casos curiosos de Hebe com seus funcionários.

Hebe Camargo posa com Roberto Carlos e Gloria Maria em seu aniversário de 80 anos - Mônica Bergamo/Folhapress
Hebe Camargo posa com Roberto Carlos e Gloria Maria em seu aniversário de 80 anos
Imagem: Mônica Bergamo/Folhapress

Roberto Carlos

Hebe nunca escondeu sua paixão por Roberto Carlos, mas somente seus funcionários mais próximos sabiam o tamanho da admiração pelo cantor. "Nunca me esqueço do dia em que o Carlinhos [cozinheiro] espalhou pôsteres do Roberto Carlos pela escada para que Hebe descesse sorrindo, admirando o ídolo", escreve o maquiador, que também revela o tratamento íntimo da apresentadora com Roberto ao telefone.

"Certo dia, ela estava gravando para o programa, no jardim perto da piscina, e tocou o telefone. Lembro que na hora ela começou a vibrar! 'Roberto Carlos, não acredito que você está me ligando, amorzinho!'. Ela parou tudo, se jogou no chão, ao lado da piscina, e ficou um tempão batendo papo com o cantor, deitada ali, feliz da vida", diz o livro.

Hebe Camargo posa em camarim segurando uma rosa - Eduardo Knapp/Folhapress
Hebe Camargo posa em camarim segurando uma rosa
Imagem: Eduardo Knapp/Folhapress

Viagem com fã feirante

Feirante aposentada, Perpétua Lopes, 63 anos, é uma das principais fãs de Hebe Camargo e não perdia um programa sequer na plateia da apresentadora. No livro de Edu Sacchiero, ela conta como se tornou próxima da apresentadora a ponto de ganhar uma cirurgia e até viajar para fora do Brasil com ela.

"Nós fizemos cruzeiro juntas, e eu nunca vou me esquecer do carinho que ela tinha por mim. Descemos na Argentina e voltamos de avião. Ela pegava na minha mão e falava: 'Não sai daqui, fica perto de mim'. Ela se preocupava comigo. Tanto que, uma vez, ela me convidou para passar o Natal na casa dela. Agora, me diga: que ídolo convida o fã, se não for amigo, para passar o Natal na casa dele? Pois é, Hebe fez isso", recorda.

Hebe Camargo posa nas areias de Dubai - João Passos/Arquivo Pessoal
Hebe Camargo posa nas areias de Dubai
Imagem: João Passos/Arquivo Pessoal

Shopping exclusivo em Dubai

Sempre vaidosa, Hebe Camargo adorava usar joias e, durante uma viagem aos Emirados Árabes Unidos, teve um shopping inteiro à sua disposição. A produtora Fernanda Felix, que trabalhou 13 anos com a apresentadora, relembra no livro de Edu Sacchiero os perrengues daquele passeio básico da dama da TV.

"Uma vez em Dubai mandaram fechar uma ala do shopping, porque ela resolveu comprar joias. Lembro que, naquele dia, ela se apaixonou por peças que a acompanhariam nos momentos mais especiais. E rimos muito com a aglomeração de seguranças, que só aumentava, para que ela pudesse deixar o local sem imprevistos", conta.

Hebe Camargo careca na capa da revista Veja São Paulo (15/12/2010) - Reprodução
Hebe Camargo careca na capa da revista Veja São Paulo (15/12/2010)
Imagem: Reprodução

Foto careca

A histórica capa da revista Veja São Paulo com Hebe Camargo careca, durante o tratamento contra o câncer, teve participação decisiva de Edu Sacchiero, que conta em seu livro de memórias os bastidores da foto.

"Quando os cabelos começaram a cair, ela decidiu raspar. Nos encontramos, ela pediu que eu a maquiasse e tirasse uma foto. Ela também já não tinha mais sobrancelha e, claro, estava abatida. Tirei a foto com uma câmera minha, retirei o cartão de memória e entreguei para ela dizendo: 'Hebe, isso é um documento. Se um dia você quiser que essa foto saia na imprensa, faça pelas suas mãos'. Ela agradeceu e guardou o cartão no cofre da casa dela. No início, ela não tinha entendido o que era o chip. Quando expliquei, ela compreendeu e guardou. Decidiu estampar a foto dias depois, na capa da Veja", afirma o maquiador.

Televisão