PUBLICIDADE
Topo

Novelas

'A Favorita': Claudia Raia conta que cuspe na cara não foi combinado

Patricia Pillar e Claudia Raia como Flora e Donatela, as protagonistas de "A Favorita" - Globo/Frederico Rozario
Patricia Pillar e Claudia Raia como Flora e Donatela, as protagonistas de 'A Favorita' Imagem: Globo/Frederico Rozario

Guilherme Machado

Do UOL, em São Paulo

25/05/2020 04h00

"A Favorita" está de volta! A novela de João Emanuel Carneiro, uma das mais queridas e de maior audiência dos últimos anos, estreia hoje na íntegra no catálogo do Globoplay, como parte de um projeto de resgatar tramas clássicas da Globo.

A novela conta a saga de Flora (Patricia Pillar) e Donatela (Claudia Raia), duas amigas de infância que tiveram uma dupla sertaneja de sucesso, mas se afastaram com os anos. A situação fica violenta quando uma delas mata o marido de Donatela. Até o capítulo 56, o público não sabe quem é a verdadeira assassina, até a revelação de que Flora é a vilã da história.

A novela conseguiu se firmar com uma série de reviravoltas e cenas hoje icônicas. Uma delas é o momento em que Donatela descobre que Silverinha (Ary Fontoura), seu mordomo e ex-empresário, que ela julgava ser fiel, se aliou com Flora para acabar com sua vida. O confronto tem um diálogo pesado, com o mordomo expondo todas as suas frustrações e, no final, cuspindo em Donatela.

O momento final, um dos mais marcantes do folhetim, não estava previsto no roteiro.

"Essa cena foi uma loucura. O Ricardo [Waddington, diretor da novela] apontou como ele queria. Acho que tinha seis ou sete câmeras, ele marcou de um jeito que a gente fizesse a cena inteira [de uma vez], sem cortes. Nós passamos a cena e não tinha o cuspe na cara, não estava escrito, o diretor não pediu. A gente começou a gravar e aquele ódio veio vindo, a cena foi pegando fogo. Cheguei muito perto do Ary, vi que ele ficou transtornado. Ele, do nada, cuspiu na minha cara", relata a atriz, em entrevista digital.

Claudia diz que amou a experiência, pois trouxe um elemento novo para a cena.

Ficou aquela pausa que você não ensaia, ela é absolutamente genuína. Me deu um ódio com aquele cuspe, e o Ary lá atrás dizendo: 'Puts, cuspi na cara da Claudia'. Ele é uma das pessoas mais doces do mundo. E eu falando: Que incrível, eu amei! Achei que a cena deu aquela levantada. Quando a gente terminou, todo mundo aplaudiu. Essa cena ficou para sempre!

"Beijinho Doce"

Donatela e Flora com a dupla Faísca e Espoleta - Globo/Rafael França - Globo/Rafael França
Donatela e Flora com a dupla Faísca e Espoleta
Imagem: Globo/Rafael França

As atrizes compartilham memórias carinhosas do set de gravação, apesar dos temas densos da novela. Flora e Donatela se odiavam com todas as forças. Em uma cena da novela, por exemplo, Donatela ameaça Flora com uma arma, enquanto grita: "Canta Beijinho Doce", em referência à música de maior sucesso que gravaram enquanto eram uma dupla.

"Gente, que loucas essas mulheres", brinca Claudia, ao lembrar a situação. "A letra eu sei [de Beijinho Doce], quem canta é a Claudia", diz Patricia, que também participou da entrevista.

As atrizes relembram que não se surpreenderam quando foi revelado quem era a mocinha e quem era a vilã, pois já sabiam desde o começo. Patricia conta que buscou construir a personagem com certa dubiedade, mas já sabendo de sua real personalidade.

A gente sabia até para poder construir os personagens com essa outra camada. A minha tentativa era que a cada cena ela pudesse ser vista como se estivesse atuando ou como se estivesse falando a verdade [ao mesmo tempo]. Foi o que tentei para não dar bandeira e para que quando passasse de novo, que é o caso de agora, conseguissem ver que tinha essa outra pessoa morando ali dentro.

"O grande desafio era esse: tinha que ter uma coerência. A Donatela era uma mulher bruta, rude, parecia mesmo que ela era uma vilã. Acho que as pessoas já sabendo conseguem perceber um pouco mais o trabalho da gente, de construção de tudo", completa Claudia.

Mariana Ximenes, que interpreta Lara, a filha biológica de Flora que era adotada por Donatela, sendo alvo da disputa das duas ao longo da trama, diz que não sabia da reviravolta.

"Eu não sabia, comecei a desconfiar quando vinham os capítulos. Quando descobri achei absolutamente genial. E mais genial ainda foi ver a construção das duas atrizes. Guardar esse segredo é complicado, então fiquei assustada para o bem, achei fantástico. Eu ficava assistindo mesmo, de camarote", conta Mariana.

Entre muitos momentos marcantes, Patricia destaca uma cena na qual se vinga de Donatela.

Me lembrei de uma cena que amei fazer, em que eu fazia a Donatela, para a Donatela, para matar ela de inveja, porque ela estava presa. Eu chegava lá com tudo dela: a roupa, os sapatos, os brincos. Chegava dizendo que tinha roubado tudo dela. Era o oposto da Flora, ela se fazia de simples.

Questionadas se algum dia gostariam de refazer a novela, mas dessa vez com Flora mocinha e Donatela vilã, as atrizes se animam com a possibilidade.

"Vamos conversar no privado. Interessante, nunca tinha pensado nisso", brinca Patricia.

Novelas