PUBLICIDADE
Topo

Televisão

Covid: âncora da Record critica atraso e falta de transparência de números

"É uma questão de saúde pública saber o que está acontecendo no Brasil agora", disse a jornalista - Instagram
'É uma questão de saúde pública saber o que está acontecendo no Brasil agora', disse a jornalista Imagem: Instagram

Do UOL, em São Paulo

05/06/2020 07h50Atualizada em 05/06/2020 08h29

Adriana Araújo, âncora do Jornal da Record, criticou nesta madrugada o atraso e a falta de transparência na divulgação dos dados da pandemia do novo coronavírus no Brasil. O governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tem adiado cada vez mais o anúncio dos números, e agora o balanço diário de casos e mortes do Ministério da Saúde só sai por volta das 22h.

"É uma questão de saúde pública saber o que está acontecendo no Brasil agora. É muito importante para todos nós", disse Adriana em uma publicação em seu perfil no Instagram. Ela explicou que fez o post porque os números só foram divulgados após o Jornal da Record.

A jornalista disse entender que "está todo mundo cansado, todo mundo esgotado, querendo que isso passe logo", mas, sem citar o governo, afirmou que a divulgação de tais números não pode ser tardia, pois é necessário "saber a gravidade da situação".

O Jornal Nacional, da TV Globo, rival da Record, abriu a edição de ontem dizendo que iria mudar a forma de apresentação dos números da pandemia devido aos atrasos do Ministério da Saúde.

No início da pandemia, durante a gestão do ministro Luiz Henrique Mandetta (DEM), os dados eram divulgados às 17h. Depois, com a pasta sob comando de Nelson Teich, o balanço diário saía às 19h. Nos últimos dois dias, com o Ministério comandado interinamente pelo general Eduardo Pazuello, a divulgação ocorreu por volta das 22h.

Com o recorde de 1.473 mortes registradas nas últimas 24 horas, o Brasil ultrapassou ontem a Itália em números de vítimas fatais da pandemia do novo coronavírus.

Televisão