PUBLICIDADE
Topo

Barney: 'O documentário se tornou um pilar importante do streaming'

João de Deus, durante atendimento na Casa de Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia (GO) - Reprodução/Casa de Dom Inácio
João de Deus, durante atendimento na Casa de Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia (GO) Imagem: Reprodução/Casa de Dom Inácio

Do UOL, em São Paulo

25/06/2020 04h00

Condenado a mais de 60 anos de prisão por abuso sexual, o médium João Teixeira de Faria, conhecido como João de Deus, é tema central da série "Em Nome de Deus", que estreou na última terça (23). A série, que já está disponível na íntegra no Globoplay, passou a ser exibida no Canal Brasil a partir de quarta, sempre às 20h50.

No podcast UOL Vê TV #32, Chico Barney, Débora Miranda, Mauricio Stycer e Fefito analisam a iniciativa da Globo de passar a produzir séries documentais. "O documentário se tornou um pilar importante do streaming", diz Barney (no vídeo a partir de 26:18).

"A gente já vem cantando essa bola há meses de que o Globoplay deveria se tornar um produtor relevante de documentários utilizando a estrutura da Globo, que é fantástica", acrescenta o colunista do UOL. "Ver a iniciativa da Marielle e agora o João de Deus sair do papel é muito interessante."

Ele lembra que a Netflix já vem fazendo sucesso com esse formato há algum tempo, e cita "Jeffrey Epstein: Poder e Perversão", que estreou recentemente no serviço de streaming, como exemplo de formato que atrai o interesse do público.

"É um assunto importante que tem um pé no jornalismo e outro no entretenimento", complementa Stycer.

Você pode ouvir o programa UOL Vê TV no Spotify, no Apple Podcasts ou em outros aplicativos de podcasts. No Youtube, a gravação do programa também é transmitida em vídeo. Podcasts são programas que podem ser ouvidos a qualquer hora e lugar -no computador, no smartphone ou em outro aparelho com conexão à internet. Os podcasts do UOL estão todos disponíveis em uol.com.br/podcasts.

TV e Famosos