PUBLICIDADE
Topo

Mel Maia reclama de atitudes de motorista de aplicativo: 'Revoltante'

Mel Maia ficou apreensiva com atitudes de motorista de aplicativo - Reprodução/ Instagram @melissamelmaia
Mel Maia ficou apreensiva com atitudes de motorista de aplicativo Imagem: Reprodução/ Instagram @melissamelmaia

Colaboração para o UOL, em São Paulo

28/01/2021 23h25

Na tarde desta quinta-feira a jovem atriz Mel Maia, de 16 anos, relatou para seus seguidores uma situação inadmissível enquanto ia para a terapia.

"Estou em um Uber, mas esse vídeo nem precisa de legenda, certeza que as meninas já entenderam", digitou ela no seu Instagram Stories visivelmente desconfortável com o que estava acontecendo.

Mel ficou bastante apreensiva com a conduta do motorista do aplicativo. "Esse maluco já quase bateu umas cinco vezes só por estar olhando para trás o tempo todo? Revoltante".

Ao chegar na terapia, ela tranquilizou os fãs ao falar que já estava bem e que havia sido tranquilizada ao conversar com a terapeuta.

"Estou me sentindo bem melhor, mas essa situação é revoltante. Só quem entende é mulher. O pior é que a gente não pode fazer nada porque o cara estava olhando, ficava querendo tirar foto", narrou novamente os momentos de tensão.

"[Ele ficava] olhando para trás o tempo inteiro para ver a [minha] perna e não tem como provar isso. Até tentei filmar, mas não conseguia pegar [os momentos exatos]", afirmou.

Ela ainda disse que ficou muito nervosa e com receio dele fazer algo com ela. Por fim, ela tranquilizou novamente os seguidores e deixou um recado: "Está tudo bem. Meninas, se cuidem!".

Pouco depois ela compartilhou um relato de uma seguidora e disse que recebeu várias outras mensagens de mulheres relatando episódios parecidos. "Que raiva", escreveu.

Em nota, a Uber diz considerar "inaceitável e repudia qualquer ato de violência contra mulheres": "A empresa acredita na importância de combater, coibir e denunciar casos dessa natureza às autoridades competentes. No caso citado na matéria, a conta do motorista parceiro foi banida assim que a denúncia foi feita", esclarece a empresa.

"A empresa defende que as mulheres têm o direito de ir e vir da maneira que quiserem e têm o direito de fazer isso em um ambiente seguro. Desde 2018 a Uber tem um compromisso público para enfrentamento à violência contra a mulher no Brasil, materializado no investimento em projetos elaborados em parceria com entidades que são referência no assunto, que inclui, por exemplo: campanhas contra o assédio e o projeto Podcast de Respeito, com conteúdos para os motoristas parceiros. Além disso, a Uber possui ferramentas de segurança importantes antes, durante, e depois de cada viagem realizada por meio do aplicativo e está sempre buscando aprimorar sua tecnologia para ajudar na segurança, de uma forma escalável", termina a mensagem divulgada pela empresa após a repercussão do caso.