PUBLICIDADE
Topo

Adriana Esteves: 'Se Thelma e Carminha ficassem parecidas, erro seria meu'

Adriana Esteves é Thelma em "Amor de Mãe" - REPRODUÇÃO/REDE GLOBO
Adriana Esteves é Thelma em 'Amor de Mãe' Imagem: REPRODUÇÃO/REDE GLOBO

Do UOL, em São Paulo

01/04/2021 08h34

Adriana Esteves falou sobre as comparações entre Thelma, de "Amor de Mãe", e Carminha, sua antológica vilã de "Avenida Brasil". Em entrevista à Quem, a atriz disse que culparia a si mesma se as personagens ficassem muito parecidas na tela.

São personagens extremamente diferentes, de autores diferentes. Já fiz duas vilãs do João Emanuel Carneiro -- a Carminha de 'Avenida Brasil' e a Laureta de 'Segundo Sol' -- e ali, sim, minha preocupação foi maior. As duas eram filhas do mesmo autor. Agora, o João e a Manuela [Dias, autora de 'Amor de Mãe'] são completamente diferentes. Se elas ficassem parecidas, o erro seria meu. Eu que teria um problema por querer imprimir determinada personalidade."
Adriana Esteves sobre comparações entre Thelma e Carminha

A atriz ainda comentou sobre como constrói suas atuações, brincando que "não dá mais" para interpretar mocinha de novela.

"Quando eu começo a fazer uma personagem, eu não penso muito se ela vai ser vilã ou mocinha. [...] Gosto de pensar na pessoa. Tenho que ajudar a construir aquele ser humano. Se é escrita de forma em que a personagem se humaniza, não é tão importante se ela fará vilanias ou não", disse.

Adriana Esteves como Carminha em "Avenida Brasil" - Fábio Rocha/Globo - Fábio Rocha/Globo
Adriana Esteves como Carminha em "Avenida Brasil"
Imagem: Fábio Rocha/Globo

Durante seus mais de 30 anos de carreira, ela viu também a indústria do entretenimento mudar de paradigma quanto à representação feminina.

Eu percebo que antes havia um grande resquício de machismo ao dizer que mulher não é amiga de mulher. As meninas competiam. É tão bonito perceber que a gente foi desconstruindo essa questão que estava arraigada na gente. A gente morre de prazer ao reconhecer a admiração por outra mulher. Poder gostar de outra mulher me fortalece muito. Durante parte da minha trajetória, tive um pouquinho de solidão por não acreditar que somos melhores juntas."
Adriana Esteves sobre desconstrução do machismo