PUBLICIDADE
Topo

Viúva de Tom Veiga agradece apoio após entrevista: 'Peço respeito'

Cybelle Hermínio durante entrevista a Roberto Cabrini, na RecordTV - Reprodução/Instagram
Cybelle Hermínio durante entrevista a Roberto Cabrini, na RecordTV Imagem: Reprodução/Instagram

Colaboração para o UOL, em São Paulo

12/04/2021 12h36

Cybelle Hermínio, viúva de Tom Veiga, usou seu Instagram para agradecer o apoio e o carinho que vem recebendo de internautas após a exibição de uma entrevista sua para Roberto Cabrini, exibida na noite de ontem na RecordTV.

"Tenho recebido inúmeras mensagens, de todos os tipos. E sei que cada pessoa tem sua opinião baseada no que sai na imprensa e nas redes sociais. Respeito as opiniões, assim como peço respeito a mim, às famílias e a memória do Tom", começou ela na postagem, onde aparece falando com o jornalista.

Em seguida, afirmou: "Mas, nesse momento, me conforta receber mensagens como estas, de pessoas que passaram por situações difíceis e se identificam com a minha. Obrigada pelas mensagens", finalizou ela.

Durante a entrevista exibida no "Domingo Espetacular", Cybelle chorou ao falar sobre supostas suspeitas de que a família de Tom queria exumar o corpo considerando que ele poderia ter sido envenenado.

A própria família negou que tenha incitado a possibilidade. Emocionada, Cybelle disse que a história a serviu para gerar constrangimentos.

Tenho jornalistas que me chamam de monstro, e pessoas que me definem como assassina, vagabunda, usurpadora. Eu ouvi de um amigo no IML que falou: 'se vocês não tivesse brigado, nada disso teria acontecido'. Eu achei tão dolorido alguém falar isso

O advogado de Tom Veiga disse que era desejo do intérprete tirar Cybelle do testamento. Segundo ele, Tom foi agredido. Ela nega. A reportagem exibiu áudios trocados pelo dono do personagem Louro José em que ele falava de agressões que teria sofrido.

Não houve violência de nenhuma das partes. Uma pessoa que foi agredida, ela teria interesse de ir até você? É contraditório. Como que ele fala isso, mas no dia 15 pergunta para o meu irmão: ela está bem? Foi uma discussão [acalorada], trocamos xingamentos pela primeira vez