PUBLICIDADE
Topo

Famosos

Luciana Gimenez sobre ataques machistas: 'Passo noites em claro chorando'

Luciana Gimenez sobre ataques machistas: "Passo noites em claro chorando" - Divulgação
Luciana Gimenez sobre ataques machistas: 'Passo noites em claro chorando' Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

03/05/2021 19h03

Luciana Gimenez declarou que passa noites em claro chorando em função dos ataques machistas que recebe.

"Não sei te dizer quantas vezes não passo noites em claro chorando, é um pesadelo! Cheguei ao meu limite. Vi que minhas opções eram sucumbir ou lutar para que as coisas mudem e é isso que resolvi fazer", explicou a apresentadora da RedeTV!.

No mais recente dos ataques, Luciana foi chamada de "garota de programa" e "desqualificada, que virou o que virou por 30 segundos com o Mick Jagger" pelo senador Jorge Kajuru (Podemos) — durante participação no programa Na Lata com Antônia Fontenelle.

Eu me sinto humilhada, diminuída e tenho vergonha dos meus filhos lerem essas inverdades nas redes sociais. Não é de hoje que sofro ataques como ser humano. Já fui chamada de burra, interesseira e as mais recentes onde minha honra mais uma vez é questionada. Será que cada pessoa que fala esse tipo de coisa gostaria de ouvir alguém chamá-las ou pessoas de sua família das ofensas que elas propagam?

A apresentadora do Superpop e do Luciana By Night resolvou adotar outra postura — dessa vez mais combativa — e quer servir de exemplo para mulheres que também são vítimas de agressões dessa natureza.

Como já disse algumas vezes, sempre me calei, sempre preferi não revidar, porque encurtaria o assunto, mas percebi que só fazia mal para mim, para as pessoas que estão ao meu redor. Quero trazer o assunto à luz, trazer mais informações, ouvir outras mulheres e poder ajudar, mostrar que não estão sozinhas. Estou só no começo dessa nova jornada, chega de fingir que não é comigo e que não me afeta.

Para ela, o principal desafio agora é combater a desinformação. Luciana reforça que ataques como o que ela sofreu de Kajuru, em sua opinião, configuram abuso psicológico.

A desinformação é o maior inimigo das pessoas que são abusadas psicologicamente, precisamos saber e falar mais sobre o assunto. Ofender uma pessoa com uma xingamento argumentando que é nada demais ou só uma "brincadeira", é um abuso psicológico. Diminuir uma pessoa e suas capacidades é abuso psicológico, assim como cenas de humilhações públicas, intimidações e criar fake news sobre uma pessoa a fim de criar uma imagem e situações negativas que nunca existiram, com a única motivação de causar sofrimento e dor.

Disputa judicial com Kajuru

A ministra Rosa Weber, do STF (Supremo Tribunal Federal), recebeu na quarta-feira (28) uma queixa-crime de Luciana Gimenez contra o senador Jorge Kajuru por difamação e injúria. Ele tem 15 dias a partir da data em que Rosa Weber recebeu a notícia-crime para prestar esclarecimentos.

As falas machistas de Jorge Kajuru também motivaram um processo que corre na Justiça de São Paulo e fez Luciana Gimenez ganhar uma liminar que impede o senador de se manifestar a respeito da vida pessoal ou profissional da apresentadora do Luciana By Night e do Superpop.

Caso a decisão não seja cumprida, Kajuru terá de arcar com uma multa diária de R$ 20 mil.

Qualidades acentuadamente negativas à pessoa da autora foram nessa entrevista atribuídas, com a alusão a fatos que evidentemente tinham por objetivo de parte do réu o de violar, além de qualquer justa medida razoável, a privacidade, a honra e a imagem da autora, inclusive quanto se trata de menoscabar a sua inteligência.
Afirmou o juiz na decisão à qual o UOL teve acesso.

Outra ação que Luciana move é contra a apresentadora do programa em que Kajuru proferiu as falas machistas, Antônia Fontenelle.

Dessa vez, a ex-modelo pede uma indenização de R$ 10 mil reais por danos morais.

O juiz Paulo Baccarat Filho, porém, determinou que a defesa da apresentadora deve especificar a data a ser considerada para que seja fixada a correção monetária sobre a quantia.

Famosos