PUBLICIDADE
Topo

Andréia Sadi desabafa sobre início da maternidade: 'Muito solitário'

Andréia Sadi com os filhos gêmeos Pedro e João - Reprodução / Instagram
Andréia Sadi com os filhos gêmeos Pedro e João Imagem: Reprodução / Instagram

Do UOL, em São Paulo

09/06/2021 09h43

Pouco mais de dois meses após dar à luz os gêmeos João e Pedro, filhos de seu relacionamento com o também jornalista André Rizek, Andréia Sadi refletiu sobre a maternidade.

Em entrevista ao programa "Timeline", da Rádio Gaúcha, ela desabafou sobre a solidão com a chegada dos filhos.

Sou uma mulher muito fã de mulher. Sempre fui. Minhas maiores referências e inspirações sempre foram mulheres. A mãe, a irmã, a amiga, a colega de trabalho que eu sempre olhei com uma admiração e um exemplo, como referência mesmo. Quando virei mãe passei a entender, dentro de pouco tempo, que a gente realmente não existe. Fico olhando repórteres que têm filhos. Converso muito com André sobre isso. Nem se o homem quiser ajudar e algumas coisas... André por exemplo é um pai muito presente. Faz tudo, me ajuda com tudo, mas tem coisas que, de fato, só a mãe. Há a exaustão, o esgotamento... Você não tem como compartilhar. Esse período inicial da maternidade é um período muito solitário nesse sentido. É você com você. Desabafou Sadi

A jornalista, que reforçou a maternidade sem romantização, ainda citou o medo de fracassar como mãe.

Fico ali pensando muito nisso: como a gente é forte e ao mesmo tempo frágil. E o medo de fracassar, o medo de me frustrar... Ouvi uma frase e é muito verdade: a maternidade ideal é a maternidade real, o que você aprende, o que você ajusta com seus filhos. Isso me deu um pouco de paz de espírito porque eu sei que vou me frustrar muito, sei que vou sofrer, querer proteger e não vai dar... É para a gente tentar se acalmar. As mães são heroínas, de fato, mas sem essa romantização. A gente tem que tratar como é. Cada um ajusta de acordo com sua rotina e sua realidade.

Recentemente, Andréia Sadi afirmou que vai "desacelerar" seu ritmo de trabalho após o nascimento de João e Pedro. Apaixonada pela profissão, ela também quer viver a maternidade. Apesar disso, garante:

É claro que minha prioridade total agora são os meninos, mas é o que eu falei: eu caso o horário deles e a rotina deles com essa outra rotina, que é a rotina do trabalho (...) Eles têm que saber desde pequenininhos que mãe feliz é casa feliz. E ser feliz para mim é poder conciliar casa com trabalho, que é meu projeto principal de vida. Finalizou a jornalista