PUBLICIDADE
Topo

Caco Ciocler sobre redes sociais: 'Lugar de ofensas para destruir o outro'

Ator falou sobre o lado negativo da internet - Imagem: Reprodução/Instagram@cacociocler
Ator falou sobre o lado negativo da internet Imagem: Imagem: Reprodução/Instagram@cacociocler

Colaboração para o UOL, em São Paulo

16/06/2021 09h55Atualizada em 16/06/2021 09h55

O ator Caco Ciocler soltou o verbo ao opinar sobre as redes sociais que, segundo ele, seriam um "lugar de ofensa para destruir os outros".

Apesar de se manter bem mais ativo na internet durante a pandemia, o artista da TV Globo lamentou que o espaço esteja sendo usado de uma maneira negativa por muita gente.

"Passei um período afastado das redes sociais. Comecei a achar que as redes estavam nos estragando de uma maneira irreversível. Chego a achar que não tem vantagem nenhuma. Não é um lugar de diálogo, é de ofensas, declarações para destruir o outro. Todos querem lacrar, colocar pontos finais, inclusive eu, não me isento", falou ele para a revista Marie Claire.

"E quando me envolvo muito emocionalmente, não durmo direito. Agora, por exemplo, estou tentando falar sobre ter discussões mais saudáveis e tenho tido reações odiosas por pregar o antiódio", completou o famoso que procurou se manter ocupado, até cursando uma faculdade, no período de isolamento social.

"Trabalhei bastante, não só na minha área. Já fiz três semestres da faculdade, estou estudando japonês, fiz cursos, lancei um filme, filmei outro, fiz peça online. O artista tem essa inquietação, não consigo não transformar em expressão o que estou pensando e vivendo. Se não tem teatro, vamos achar um jeito. Nesse sentido, não parei. Não tive nenhum problema com produtividade, mas não me falta saudade", comentou.

Na pandemia, Caco pode finalmente ver um dos seus projetos ser lançado no mercado. O filme AmarAção, produção independente e produzida em 2014, está nos cinemas. "O filme é super caseiro e tem uma brincadeira de eu ser eu mesmo, tem cenas na minha casa, mas é roteirizado, é um personagem. Me fascina o desejo de colocar dinheiro do bolso e usar um produto artístico para rever algo que te perturba, querer dizer algo", disse o ator.