PUBLICIDADE
Topo

Sonza 'retorna' em revista: 'Não quero ser atacada nem que meu ex sofra'

Luísa Sonza é a capa da Revista "Elle" de junho - Reprodução Instagram/ Vivi Bacco
Luísa Sonza é a capa da Revista "Elle" de junho Imagem: Reprodução Instagram/ Vivi Bacco

Colaboração para o UOL, em São Paulo

18/06/2021 11h17

Após o afastamento das redes sociais iniciado neste mês, Luísa Sonza estampa a capa da revista "Elle" de junho. Em uma entrevista reveladora, a artista se pronunciou pela primeira vez sobre os ataques sofridos após a morte de João Miguel, filho de seu ex-marido, Whindersson Nunes, com Maria Lina Deggan.

A cantora de 22 anos comenta que os ataques acontecem há bastante tempo e ela tentava ignorar.

"Achava que ia melhorar assim, mas aconteceu o contrário. Só piorou", lamenta. "E eu nunca falava que não tinha sido eu que iniciou o término do meu antigo relacionamento. Nunca quis expor a minha vida pessoal. Eu só queria trabalhar, fazer música, ter a liberdade de cantar, de amar uma pessoa que é tão incrível e não fazer com que ela tenha que pagar um preço que não é dela", declarou Luísa.

No início de maio, Whindersson afirmou que o fim da união partiu dele e que não houve traição da cantora.

Não quero ser atacada na rua, não quero ver meu caráter sendo reduzido a nada, não quero que minha família sofra diariamente, não quero que meu namorado sofra sem ter culpa nenhuma, não quero que meu ex-marido sofra com isso também. Luísa Sonza

Ela diz que a situação ficou incontrolável com as novas mensagens de ódio — Luísa foi "culpada" pela morte de João Miguel e foi ameaçada de morte —, se descontrolou e teve um momento de desespero.

"Eu estava sentada no chão do meu quarto tendo uma crise, abri os Stories e pedi para as pessoas pararem:'Parem! Eu não aguento mais!' E aí, desse jeito, acabei me pronunciando mais diretamente pela primeira vez", contou.

Acudida por assessores

Os assessores de Luísa estavam em sua casa no momento de sua crise e a acolheram.

Em um primeiro momento, fui afastada das redes sociais mesmo, porque estava em crise. E agora excluí todas elas do meu celular. A minha equipe é que fica olhando e me mandando várias mensagens carinhosas. Agora não estou com cabeça para lidar com a internet novamente.

Agora, ela está há dias sem mexer nas redes sociais e conta com apoio psiquiátrico e psicológico. A artista diz não saber se voltará a utilizar a web como utilizava antes.

"(...) Preciso me cuidar para também tranquilizar a minha família. E tenho que pensar na minha equipe e na família do Victor. Sandra, a minha sogra, de um ano pra cá, viu o filho tendo o trabalho e o sonho prejudicados por nada. Isso ultrapassa qualquer coisa que eu já tenha visto. O que é isso? É uma coisa chocante? Desesperadora? Qual a palavra pra isso?", questiona Luísa.

Acho importante também dizer que as coisas pioraram e é muito triste que, por exemplo, dois jovens — o Victor tem 21 e eu tenho 22 — não possam andar nas ruas sem ser xingados.

Apesar do momento difícil, a cantora ressalta receber muito carinho e apoio dos fãs.

"Se não tivesse todo esse amor em contrapartida, não faria sentido nenhum eu estar aqui, depois de seis anos levando essas pauladas. A galera acha que não, mas foi bem aos pouquinhos que eu conquistei meu lugar com meu público e pretendo mostrar o meu trabalho mais e mais. As pessoas que me acompanham é que me dão vida. Ninguém aguentaria essa situação sem ter também uma imensa recompensa amorosa", afirma.