PUBLICIDADE
Topo

Luciano Huck detona Bolsonaro por ataque a repórter da Globo: 'Covardia'

Luciano Huck critica Bolsonaro por ataque a jornalista da Globo - Reprodução/Twitter
Luciano Huck critica Bolsonaro por ataque a jornalista da Globo Imagem: Reprodução/Twitter

Colaboração para o UOL, em São Paulo

21/06/2021 16h38

Luciano Huck manifestou sua solidariedade à repórter Laurene Santos, da TV Vanguarda, afiliada da TV Globo no Vale do Paraíba (SP), após o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) mandá-la calar a boca por questioná-lo por que não usava máscara quando chegou na cidade de Guaratinguetá (SP).

Em publicação no Twitter, o apresentador do "Caldeirão do Huck" classificou como covarde a atitude do presidente da república contra uma profissional que estava fazendo 'perguntas pertinentes'.

Toda a minha solidariedade à repórter Laurene Santos. A jornalista foi atacada ao fazer perguntas pertinentes. Rodeado de bajuladores, o presidente se sentiu à vontade pra humilhar uma mulher que apenas cumpria seu dever profissional de informar. Covardia total.

Destempero do presidente

Durante uma coletiva de imprensa em Guaratinguetá, Jair Bolsonaro se irritou com questão sobre o não uso de máscara, atacou a Rede Globo e mandou a jornalista calar a boca'.

"Para de tocar no assunto. Você quer botar... Me botem. Vai botar agora? Estou sem máscara em Guaratinguetá. Está feliz agora? Você está feliz agora? Essa Globo é uma m... de imprensa! Vocês são uma porcaria de imprensa! Cala a boca!", reagiu Bolsonaro contra a repórter Laurene Santos.

Bolsonaro estava de máscara no início da entrevista, mas retirou a proteção após a pergunta, ignorando o decreto do governo de São Paulo que obriga o uso de máscara em locais públicos, sejam eles a céu aberto ou fechados.

Em contato com o UOL, a Rede Globo e a TV Vanguarda lamentaram a manifestação agressiva de Jair Bolsonaro contra a repórter que estava apenas 'cumprindo seu dever profissional'.

A Globo e a TV Vanguarda repudiam o tratamento dado pelo presidente à repórter Laurene Santos, que cumpria apenas o seu dever profissional. Não será com gritos nem intolerância que o presidente impedirá ou inibirá o trabalho da imprensa no Brasil. Esta, ao contrário dele, seguirá cumprindo o seu papel com serenidade. À Laurene Santos, a irrestrita solidariedade da Globo e da TV Vanguarda.