PUBLICIDADE
Topo

Xuxa vence capitão da PM na Justiça em processo por calúnia e difamação

Xuxa inicialmente solicitou uma indenização de R$ 150 mil, mas o tribunal reduziu para R$ 10 mil - Blad Meneghel/Divulgação
Xuxa inicialmente solicitou uma indenização de R$ 150 mil, mas o tribunal reduziu para R$ 10 mil Imagem: Blad Meneghel/Divulgação

Luiza Missi

Do UOL, em São Paulo

21/06/2021 20h13Atualizada em 21/06/2021 20h13

A Justiça de São Paulo confirmou a sentença a favor de Xuxa em um processo de calúnia e difamação contra Guilherme Solano, o capitão da Polícia Militar de São Paulo que fez publicações criticando seu livro infantil, "Maya: Bebê Arco-íris".

No livro, Xuxa conta a história de uma família formada por duas mulheres e a filha. Nas publicações, o policial fez referências ao filme "Amor, Estranho Amor" e argumentou que a apresentadora não tem autoridade para falar sobre educação infantil.

Xuxa inicialmente solicitou uma indenização de R$ 150 mil, mas o tribunal reduziu para R$ 10 mil.

Na sentença de primeira instância, o juiz cita a Constituição ao argumentar que o cidadão não pode confundir a liberdade de expressão com um aval para ofensas: "O direito à crítica não é ilimitado e não pode ser entendido como uma autorização para ofender direitos da personalidade''.

Guilherme Solano recorreu, mas o tribunal votou a favor de Xuxa. Procurado pelo UOL, o policial afirmou que foi um posicionamento pessoal, não relacionado à Polícia Militar.

Ele acrescentou: "Foi um questionamento diante de tantas posturas que, ao meu ver, estão em desacordo de quem quer pregar valores e educação infantil. Por esse motivo, me manifestei, assim como centenas de outras pessoas".

Através de sua assessoria, Xuxa confirmou a vitória na Justiça.