PUBLICIDADE
Topo

'Irmão de alma': Quem era Luiz Araújo, ator encontrado morto em São Paulo

Felipe Pinheiro

Do UOL, em São Paulo

13/09/2021 06h56Atualizada em 13/09/2021 09h57

Gentil, brincalhão e amigo. Em cena, extremamente talentoso. Assim era o ator Luiz Carlos Araújo, encontrado morto aos 42 anos, no apartamento onde morava, em São Paulo. A causa da morte ainda está sendo investigada pela polícia. O velório será restrito, com caixão lacrado.

Araújo não era tão conhecido pelo grande público, mas na classe teatral era famoso pelo profissionalismo e pela leveza com que encarava a vida, além do lado altruísta. Na TV, o papel mais conhecido foi na novela "Carinha de Anjo", do SBT. Estrelou musicais como "Lisbela e o Prisioneiro", "O Primo Basílio" e "Tieta do Agreste" e "Garota Glamour".

Muitos desses espetáculos foram contracenados com Marilice Cosenza, grande amiga, além de parceira de trabalho. Foi ela quem pediu a duas amigas que fossem ao apartamento de Araújo depois de não conseguir falar com ele pelo telefone.

Luiz Carlos Araújo: veja fotos do ator em cena

Na comédia "Pelo Telephone", eram somente Marilice e Luiz Araújo em cena como um casal. Já em "Tom & Vinícius", eles mais uma vez fizeram par romântico. Ela se recorda de um momento de improviso no palco, que garantiu muitas gargalhadas.

Ao final do espetáculo foi icônico. Eu sentava no colo dele. Nesse dia, ele começou a apertar a minha barriga — eu tinha que dar um agudo muito alto no meio da cena. Tive uma crise de riso que eu não conseguia cantar. Eu chorava de tanto rir! Nunca mais nos esquecemos disso.

Durante a pandemia, Luiz procurou oferecer ajuda a pacientes com covid-19. O ator ia a hospitais cantar a quem estava internado com o novo coronavírus.

Um tempo depois, ao final do ano passado, ele e Marilice gravaram a música "Força Estranha", famosa na voz de Caetano Veloso.

Assista ao vídeo de "Força Estranha", cantada por Marilice e Luiz Araújo:

Dono de um sorriso largo contagiante

Amigos de Luiz Carlos Araújo o descrevem como generoso e de alegria contagiante - Reprodução/Facebook - Reprodução/Facebook
Amigos de Luiz Carlos Araújo o descrevem como generoso e de alegria contagiante
Imagem: Reprodução/Facebook

O ator e bancário Fabricio Vieira conheceu Araújo nas coxias do teatro e em audições de musicais por volta de 2007. "Era um cara que sempre tinha um sorriso largo no rosto e uma palavra amiga para dar", descreve. Vieira conta um momento que guardará na memória:

Era tarde da noite e eu tinha uma audição para estudar. Lembro que conversamos sobre essa audição, ele me deu dicas. Muito atencioso. Mesmo sendo tarde, me deu atenção.

Possível quadro de depressão

Nos últimos meses, Marilice Cosenza diz que o amigo havia perdido a alegria tão peculiar de sua personalidade. Os sinais, diz, aparentavam um estado de depressão.

"Depois que começou a pandemia, ele começou a ficar mais triste porque tinha menos trabalho, estava longe dos amigos. Começou a sumir das redes sociais. Estava mais triste. Nos encontros sempre mais quieto, na dele. Ele já estava bem diferente do que era", afirma.

Marilice deixa um alerta, que ela acredita que fosse da vontade do grande amigo:

Estamos vivendo um momento muito difícil. Precisamos cuidar da nossa saúde mental, buscar fazer coisas prazerosas, estar atentos aos nossos amigos que começaram a ficar mais tristes, deprimidos, isolados. Prestar atenção nisso. Ir atrás, ter notícias. Isso fará toda a diferença.

Centro de Valorização da Vida

Caso você esteja pensando em cometer suicídio, procure ajuda especializada como o CVV (Centro de Valorização da Vida) e os CAPS (Centros de Atenção Psicossocial) da sua cidade.

O CVV funciona 24 horas por dia (inclusive aos feriados) pelo telefone 188, e também atende por e-mail, chat e pessoalmente. São mais de 120 postos de atendimento em todo o Brasil.