PUBLICIDADE
Topo

Bonner e Renata se emocionam no JN após reportagem dos 25 anos da GloboNews

William Bonner e Renata Vasconcellos no JN - Reprodução/TV Globo
William Bonner e Renata Vasconcellos no JN Imagem: Reprodução/TV Globo

Do UOL, em São Paulo

15/10/2021 21h35

Os âncoras William Bonner e Renata Vasconcellos se emocionaram hoje no "Jornal Nacional" após exibição de uma reportagem especial para comemorar os 25 anos da GloboNews. A jornalista participou da estreia do canal de notícias do Grupo Globo em 1996.

Em graus diferentes, estamos todos muito emocionados aqui, então cabe a mim dizer que logo mais...disse Bonner, com a voz embargada.

Dando a mão para Renata como sinal de apoio e com os olhos marejados, ele ouviu da parceira de bancada. "A gente fica muito... trabalho duro e muita emoção."

"Parabéns para a parte que lhe cabe nisso", acrescentou Bonner.

Renata esteve com Eduardo Grillo na bancada do "Em Cima da Hora", primeiro telejornal da GloboNews, há 25 anos.

Em 15 de outubro de 1996, ela anunciou a chegada da emissora como o "primeiro canal da televisão brasileira só com notícias". Maria Beltrão e Christiane Pelajo, que também permanecem na emissora desde o lançamento, também apareceram no vídeo de apresentação.

O primeiro telejornal mostrou os bastidores da criação da emissora, além de explicar a intenção de oferecer coberturas amplas e sem interrupções durante a programação.

É uma honra que trago comigo o fato de ter participado da estreia do primeiro canal de notícias, 24 horas no ar. Os 25 anos de Globonews mostram a importância do jornalismo profissional na vida do brasileiro. Notícia em primeira mão, ao vivo, análises que cobrem todos os aspectos da informação. O canal se tornou essencial para formar opinião e ajudar o cidadão a fazer escolhas.
Renata Vasconcellos em comunicado da 'GloboNews'

Comemorando a data, a GloboNews produziu a série "Nunca Desliga", que apresenta uma retrospectiva dos momentos mais marcantes vividos durante o período em que o canal permanece no ar.

Quando estreamos, não sabíamos ainda que caminho poderíamos percorrer. Tivemos confiança e muita liberdade para tentar, ousar, errar e foi exatamente isso que nos ajudou a formar profissionais diferentes, com uma assinatura absolutamente pessoal.
Maria Beltrão sobre a série 'Nunca Desliga'