PUBLICIDADE
Topo

Autora de 'The Handmaid's Tale' é acusada de transfobia no Twitter

A escritora canadense Margaret Atwood - Getty Images
A escritora canadense Margaret Atwood Imagem: Getty Images

Colaboração para o UOL, no Rio de Janeiro

20/10/2021 09h36

A autora da série "The Handmaid's Tale", Margaret Atwood, foi acusada de transfobia após compartilhar um artigo que criticava a linguagem neutra em termos de gênero. O texto reclamava do uso de determinados termos para substituir a palavra 'mulher'. A atitude da escritora foi criticada nas redes sociais.

Atwood compartilhou o artigo escrito pela colunista Rosie DiManno, intitulado "Por que não podemos mais dizer 'mulher'?". O texto argumenta que a linguagem neutra causa um 'apagamento das mulheres', o que torna 'as pessoas bem-intencionadas sem palavras, para que não sejam atacadas como transfóbicas ou de outra forma insensível às construções cada vez mais complexas de gênero'. DiManno ainda para que 'a palavra mulher estava em perigo de se tornar um palavrão' e ainda corria o risco de ser 'riscada do vocabulário oficial, erradicada do vocabulário médico e expurgado das conversas'.

Repercussão

A autora não escreveu legendas ou comentários, mas apenas o ato de compartilhar já foi alvo de críticas e muitos internautas tentaram conscientizar Atwood. "Ninguém está proibindo a palavra 'mulher'" e "Muitas organizações estão - com razão - optando por uma linguagem precisa ao falar sobre coisas que têm a ver com características biológicas em vez de identidade de gênero. Não é um ataque à feminilidade NÃO igualar gênero com biologia específica" foram alguns dos comentários na publicação.

A jornalista norte-americana Amanda Jette Knox também lamentou o texto compartilhado pela autora: "Estou desapontada que você compartilhou isso, porque não é verdade. Ainda podemos dizer 'mulher' e também podemos dizer 'pessoas' quando faz sentido usar uma linguagem mais inclusiva. Eu não sou binária. Também menstruei e dei à luz 3 filhos. Dizer 'pessoas com menstruação' inclui mulheres E eu", explica.