PUBLICIDADE
Topo

Não tem para ninguém: Hadson é a melhor atração do BBB 20

Hadybala choroso após cometer algum vacilo  - Reprodução/GlobosatPlay
Hadybala choroso após cometer algum vacilo Imagem: Reprodução/GlobosatPlay
Chico Barney

Chico Barney

Entusiasta e divulgador da cultura muito popular. Escreve sobre os intrigantes fenômenos da TV e da internet desde 2002.

06/02/2020 14h48

Uma das tradições mais longevas da Coluna Chico Barney em época de BBB é publicar semanalmente um boletim com a cotação de cada participante da temporada. Trata-se de um juízo de valor absolutamente empírico. É o humilde registro de como enxergo a performance de cada um no jogo, além das reações do público ao que acontece.

Acompanhe abaixo como está a situação dos participantes depois das duas primeiras semanas de intensas emoções.

> EM ALTA

Hadson: É a grande atração da temporada, pelo menos até aqui. Completamente equivocado, não consegue entender o mundo ao seu redor. E ainda inventou um apelido esdrúxulo para si mesmo, o insondável "Hadybala". Seus argumentos nunca fazem qualquer sentido, e mesmo assim repercutem de maneira eloquente dentro e fora da casa. É constantemente provocado por Pyong, e agora foi excluído por todos os outros colegas. A situação parece indicar uma popularidade cada vez maior nos próximos dias.

Marcela: A queridinha da internet. Como escreveu Fefito, a médica já angariou mais seguidores novos que os influenciadores digitais. Ficou fortalecida internamente pela revelação de que estava correta na leitura sobre o machismo de alguns homens, assim como na exposição do infame Teste de Fidelidade com Mari Baianinha. Mas qual será sua história a partir de agora? Uma vingadora em busca de justiça? É importante lembrar que gente sensata não costuma chegar longe no BBB.

Guilherme: O discreto inventor do Teste de Fidelidade conseguiu passar incólume pela VazaJato que tomou conta do programa após a entrada dos integrantes da casa de vidro. É visto como "o menos pior", graças ao medo que teve de votar em Pyong no primeiro paredão. Caso seja capaz de engatar de fato o romance com Gabi Martins, se afastará cada vez mais de qualquer conexão com a gangue dos vilões.

Gabi: Depois de duas semanas absolutamente irrelevantes, nosso Curió Sonolento parece disposta a assumir algum protagonismo. Para isso, usará o poder do romance. Afirmou estar apaixonada por Guilherme e conduziu uma série de diálogos açucarados durante a festa do líder. Certamente reunirá em torno de si uma importante parcela dos fãs de BBB, que não resistem às intempéries de um casal confinado.

Rafa: É uma ótima personagem. Mistura a serenidade de quem já viu coisas demais nessa vida com a firmeza de quem sabe que precisa de ação para mudar o que está errado. Mas perde a linha ao evocar com frequência a religião, atrapalhando a característica laica de qualquer bom reality show que não seja produzido por Valdemiro Santiago.

> EM BANHO-MARIA

Manu: durante a Madrugada da Revelação, quando Daniel Salsicha Orgastic e Ivy Megazord entraram na casa e anunciaram todos os spoilers da temporada, Manu passou a impressão de que assumiria a liderança espiritual da casa. Mas parece que ela já voltou a fazer parte da decoração, como uma samambaia de Santa Cecília. Falta iniciativa à cantora, embora seus discursos sejam sempre muito interessantes.

Gizelly: É firme, divertida e sensata. Mas ainda não construiu nenhuma boa história, fazendo apenas participações especiais em narrativas que não lhe pertencem.

Reprodução/Globoplay
Imagem: Reprodução/Globoplay

Mari: Quem diria que a exuberante ex-Panicat, tão simpática e alto astral, seria tão insegura? Baianinha parece sempre aguardar direcionamentos de terceiros para saber o que fazer. Não se sente confortável com a ideia de precisar tomar as próprias decisões. Por isso, sofre muito e não consegue se expor de maneira adequada. Estou muito curioso para saber o que acontecerá com ela nas próximas semanas.

Telma: É parcimoniosa em seus apontamentos, mas sempre bastante assertiva. Tem uma visão interessante do jogo, embora esteja agindo mais como espectadora do que uma peça fundamental para manter a história andando para frente.

> EM BAIXA

Pyong: Você sabia que o nome verdadeiro dele é Jaime? Como confiar em alguém que não usa o próprio nome? Apesar de carismático e simpático, tudo é calculado. Isso pode atrapalhá-lo. Além disso, eventuais tropeços podem fazer com que sua autoestima elevada seja confundida com soberba. Ou será que seus truques sevem para fazer com que sua soberba seja confundida com autoestima? Ainda vamos descobrir.

Babu: Assumiu a posição de ombudsman da casa. Não é algo muito interessante sob o ponto de vista do entretenimento. A quem interessa as discussões sobre comida e louça? Certamente não a mim.

> EM DESGRAÇA
Flayslane: É exagerada e impertinente. São traços perfeitos para qualquer reality show que se preze, mas a maneira como ela canaliza isso apenas irrita os colegas e o pobre telespectador, principalmente por conta dos decibéis investidos em cada frase.
Lucas: Parece que esqueceu que estava sendo filmado 24 horas por dia. Se comportou como se estivesse no vestiário da academia. É um erro bastante grave para quem se dispõe a ficar tanto tempo confinado.

Reprodução/Globoplay
Imagem: Reprodução/Globoplay

Felipe: O pitoresco Felipera Trainspotting é uma espécie de Freakazoid. É esquisito, não entende nada do jeito certo, cria delírios a respeito de si mesmo e dos adversários. O mundo paralelo em que ele habita é assustador e fascinante. Provavelmente será lembrado como o grande vilão da temporada.

Victor Hugo: Cada vez que a câmera do pay-per-view foca em uma conversa de Victor Hugo, a Netflix ganha centenas de novos assinantes. O sujeito é uma espécie de veneno contra a diversão. É prolixo, modorrento, e não acrescenta simplesmente nenhum bom elemento ao programa. Fico com pena de quem foi preterido em relação a ele na escalação final do elenco.

Boca Rosa: Uma das melhores figuras que já passaram pelo BBB. Nunca ninguém teve tanto a perder participando do programa. E ela está perdendo tudo, conforme qualquer um poderia prever. Por conta da personalidade esquisita, nunca age de maneira clara. Não é possível afirmar que Bianca é falsa ou interesseira —ela apenas parece operar de uma maneira muito diferente das outras pessoas. Apesar da rejeição cada vez maior, gostaria de vê-la ainda por muito tempo na casa.

> EM OBSERVAÇÃO

Daniel e Ivy: Por enquanto, existiram menos como personagens e mais como ferramentas para fazer a trama do BBB 20 andar para frente. Escrevi que considero a presença de ambos, cheios de informações externas, uma quebra de paradigmas bastante forte na história do programa. Ainda é cedo para dizer se a dupla servirá a algo mais nas situações que o futuro nos reserva, mas confesso que não estou com boas expectativas. Entraram com uma orientação muito forte do público, o que deve atrapalhar bastante na fluidez das próprias narrativas.

Voltamos a qualquer momento com novas informações.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Chico Barney