PUBLICIDADE
Topo

Quais famosos estão se dando bem e quais estão se queimando no "BBB 20"

Rafa, Mari, Pyong, Babu, Bianca (escondida), Manu e Petrix, sete dos nove integrantes do grupo Camarote - Reprodução/TV Globo
Rafa, Mari, Pyong, Babu, Bianca (escondida), Manu e Petrix, sete dos nove integrantes do grupo Camarote Imagem: Reprodução/TV Globo
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

06/02/2020 05h01

Resumo da notícia

  • Pela primeira vez na história do BBB, esta edição não é formada apenas por anônimos
  • Nove pessoas conhecidas toparam entrar no programa em busca de mais fama e fortuna
  • Para alguns, porém, o efeito está sendo inverso. Dos nove, pelo menos quatro já queimaram a própria imagem
  • Outros dois estão se virando, mas também têm cometido alguns erros banais
  • Apenas três famosos têm usado, com sucesso, o programa a favor deles. Se continuarem assim, tendem a se dar bem

Por 19 edições, o "BBB" foi protagonizado por anônimos em busca de fama e fortuna. Na 20ª edição, pela primeira vez, um grupo de nove famosos aceitou participar da aventura, se juntando a outros nove desconhecidos.

O que estas nove figuras já conhecidas teriam a ganhar no "Big Brother"? A princípio, mais fama e, em consequência, mais fortuna. Muitos calcularam que a exposição de suas imagens traria benefícios. Para os youtubers e digital influencers que toparam entrar no reality, seria uma oportunidade de ampliar o alcance de seus trabalhos.

Superadas as primeiras duas semanas desta experiência inédita, o saldo é francamente desfavorável aos não-anônimos que aceitaram participar do jogo formando o grupo "Camarote". Veja só:

Lucas Chumbo: Surfista profissional, especializado em ondas gigantes, foi o primeiro eliminado do programa. Não era tão famoso assim ao entrar e saiu bastante conhecido, mas com fama de machista. "Tóxico", decretou Bruna Marquezine, que tem atuado como chefe de torcida de outra famosa no programa, a cantora Manu Gavassi. "Se eu passei do limite em algum momento, eu peço desculpa", respondeu o surfista.

Petrix Barbosa: O ginasta, medalha de ouro nos Jogos Pan-americanos, chegou no BBB com a fama de ter denunciado um técnico por assédio sexual. Um herói. E saiu do programa com rejeição de 80% após o público considerar que ele teve comportamento altamente reprovável com as meninas da casa. Foi intimado pela polícia a prestar depoimento sobre o assunto. É difícil calcular o prejuízo que o BBB causou para a sua imagem.

Bianca Andrade: Conhecida como Boca Rosa, ela é uma jovem empresária, dona de um negócio bem-sucedido de maquiagem na internet. Está fazendo tudo errado no BBB. Numa festa, bebeu demais e bateu boca com outra digital influencer, a Rafa Kalimann. Chamou Manu Gavassi de "retardada". Adotou uma posição a favor dos participantes acusados de machismo na casa. Não à toa, a digital influenciar foi "cancelada" por milhares de fãs. Até mesmo quem cuida de suas redes sociais criticou a sua postura.

Mari Gonzalez: Ex-panicat e repórter do "Pânico", quando então era conhecida como Mari Baianinha, ela é hoje uma influenciadora digital fitness, ou seja, tornou-se um oráculo para quem deseja ter o corpo perfeito. Já pisou na bola mais de uma vez e está com a imagem chamuscada. Fez comentários tão difíceis de entender sobre zoofilia (sexo com animais) que a polícia já informou que vai intimá-la para esclarecer o assunto. Também tem tido atitude ambíguas na disputa entre homens considerados machistas e mulheres feministas.

Gabi Martins: Cantora e compositora, do gênero sertanejo, a jovem chegou anunciando que o seu grande sonho era participar do BBB. Optou, porém, por se esconder no reality show. Sua voz não é ouvida, às vezes, em momento algum do dia. Evita discussões e mesmo conversas banais. É uma das maiores plantas da história do programa. Se continuar assim, arrisca sair ainda menos famosa do que entrou.

Pyong Lee: Mágico e hipnólogo, com milhões de seguidores, o rapaz está se equilibrando razoavelmente bem no jogo. Tem uma postura simpática e divertida, não se envolveu com a turma já carimbada como machista e mostra ser um sujeito inteligente e com jogo de cintura. Por causa de uma decisão equivocada da direção do programa, saiu como vítima de Petrix no episódio do Big Fone. É apenas, como já notou o colunista Chico Barney, um pouco debochado além da conta.

Rafa Kalimann: Entre as digital influencers, é a que tem-se saído menos mal. Evita se meter em confusões maiores, mas não se esconde. Parece surpresa e, eventualmente, arrependida de ter se metido nesta confusão, mas não reclama. Consegue passar uma imagem de sensatez, coisa dificílima num BBB, sem transmitir arrogância.

Manu Gavassi: Mais famosa entre os famosos, a atriz e cantora está usando o BBB para um experimento científico interessante, que é o diálogo com a sua imagem gravada previamente e divulgada em suas redes sociais. Tem humor e autoironia, qualidades muito raras neste programa, mas se arrisca a passar uma imagem blasé tanto dentro quanto fora da casa. Fato pitoresco, um comentário de Manu teve efeito negativo sobre um famoso, Chay Suede, que está em outro estúdio da Globo.

Babu Santana: O ator é outro que, até o momento, tem sobrevivido com dignidade no BBB. Tem-se mostrado um sujeito consciente, falando sobre a realidade brasileira e a sua vida, sem apelar para vitimação. Não dá moleza para os colegas mais otários. É boa praça e divertido. Está no lucro até agora.

UOL VÊ TV avalia BBB 20: machismo, polícia, casa de vidro e conflitos

O lado B do BBB

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Mauricio Stycer