PUBLICIDADE
Topo

Grande Rio levará padres, pastores e entidades do candomblé para Avenida

Paolla Oliveira gravou cenas do clipe da Grande Rio em um terreiro de candomblé - Reprodução/YouTube
Paolla Oliveira gravou cenas do clipe da Grande Rio em um terreiro de candomblé Imagem: Reprodução/YouTube
Blog do Leo Dias

Notícias exclusivas sobre o mundo das celebridades e os bastidores do show business no Brasil.

Colunista do UOL

15/01/2020 13h06

Com o enredo "Tata Londirá: o Canto do Caboclo no Quilombo de Caxias", a Acadêmicos do Grande Rio promete fazer um Carnaval contra qualquer tipo de intolerância, principalmente a religiosa.

"Vamos levar dois padres, dois pastores, além de entidades do candomblé da Angola para a Avenida. Teremos uma ala toda de branco com ramos de folhas nas mãos, simbolizando a intolerância religiosa", conta Gabriel Haddad, carnavalesco da escola ao lado de Leonardo Bora.

Jayder Soares, presidente da Grande Rio, faz questão de ressaltar que a luta contra qualquer tipo de preconceito já acontece há anos na escola:

"Fomos a primeira quadra a ter um banheiro destinado ao público LGBT. Temos o masculino, o feminino e um escrito 'outros'. Além disso, há quatro anos nós temos uma ala LGBT chamada 'gaiola das loucas' e este anos eles vêm vestidos de vedetes".

A nova realidade financeira das escolas que não contam mais com rios e rios de dinheiro para realizar os desfiles, não será problema. Pelo menos é o que garante o carnavalesco Gabriel Haddad, que faz sua estreia no grupo especial:

"Vim do grupo de acesso e lá aprendemos a trabalhar com pouco dinheiro. Nossos carros vêm do mesmo tamanho, mas reutilizamos estruturas das alegorias do ano passado e usamos muitos retalhos de fantasias anteriores. É um Carnaval com menos dinheiro, mas não menos glamuroso".

Em novembro, Paolla Oliveira foi a sensação de São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Rainha de bateria da Grande Rio, a intérprete de Vivi Guedes em "A dona do pedaço" se vestiu de branco e apostou em acessórios com búzios para gravar o clipe da escola de samba em homenagem ao pai de santo Joãozinho da Gomeia, considerado o pai do candomblé.

*Com colaboração de Monique Arruda