PUBLICIDADE
Topo

Mr. Edição queima Pyong ao fazer VAR e repetir 5 vezes prova do Big Fone

Prior e Pyong correm para atender o Big Fone; ao repetir a cena, Leifert disse que o mágico tentou agarrar o colega - Reprodução / TV
Prior e Pyong correm para atender o Big Fone; ao repetir a cena, Leifert disse que o mágico tentou agarrar o colega Imagem: Reprodução / TV
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

17/02/2020 01h27

A direção do "BBB 20" tratou com um certo desdém a famosa disputa entre Petrix e Pyong para ver quem atendia primeiro o Big Fone. Contra todas as evidências, o programa decidiu que não era possível concluir se o ginasta empurrou o mágico e, de forma salomônica, encontrou uma solução que levou os dois ao paredão.

Para chegar a esta conclusão, no primeiro domingo de fevereiro, Mr. Edição mostrou apenas três vezes o vídeo da disputa e gastou apenas 30 segundos do programa com estas reprises. Toda a apresentação do quadro, incluindo a explicação de Tiago Leifert, ocupou dois minutos e trinta segundos. Para quem esperava o uso do VAR (árbitro de vídeo usado no futebol), foi uma decepção e uma injustiça.

Duas semanas depois, uma nova disputa para atender o Big Fone gerou outra corrida emocionante. Mas desta vez não houve dúvidas sobre a vitória de Prior sobre Pyong. Ele partiu na frente e seguiu na liderança do início ao fim da prova.

Desta vez, porém, Mr. Edição decidiu tratar a prova com seriedade e recorreu ao VAR. O vídeo com a corrida entre Prior e Pyong foi exibido cinco vezes neste domingo (16). O tempo total dedicado à apresentação da prova foi de quatro minutos. Em uma das repetições, a direção do programa chamou a atenção para um detalhe: o mágico tentou agarrar o seu adversário, mas não conseguiu.

A demonstração da falta de espírito esportivo de Pyong mereceu reprise e câmera lenta - recursos que não foram usados com igual cuidado para esclarecer se Petrix atropelou, ou não, Pyong na prova ocorrida duas semanas antes.

Por quê?

A primeira decisão beneficiou Petrix. Naquela semana, o ginasta já era o alvo favorito do público por causa de suas atitudes com duas mulheres da casa. Chegou a ser advertido por isso alguns dias antes. E, como se previa, foi eliminado com 80% dos votos.

Por outro lado, Pyong foi visto como vítima de uma injustiça. O que se refletiu no paredão - ele teve apenas 0,66% dos votos. Uma semana depois, no dia 9, foi a vez de o mágico ser advertido por comportamento inconveniente com duas mulheres. A bronca que Pyong levou foi vista pelos espectadores, o que não ocorreu com Petrix quando ele foi advertido.

Neste domingo, Pyong foi novamente exposto pela direção do programa. Não apenas perdeu a corrida para Prior como tentou agarrar o colega. Mr. Edição fez questão de destacar este pecado do hipnólogo. Ou seja, o rapaz está queimadíssimo.

O lado B do BBB

Mauricio Stycer