PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Mauricio Stycer


CNN Brasil estreia com a promessa de fazer jornalismo independente

Apresentadores da CNN Brasil reunidos na festa de lançamento do canal - Divulgação
Apresentadores da CNN Brasil reunidos na festa de lançamento do canal Imagem: Divulgação
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

15/03/2020 05h01

O que esperar da CNN Brasil, que estreia neste domingo (15), às 20h, nas principais operadoras de TV por assinatura, no canal 577? Esta é uma questão que intriga especialistas em mídia desde janeiro de 2019, quando os planos do canal foram anunciados. A festa de lançamento, nesta segunda (9), em São Paulo, trouxe alguns dados novos.

O sócio majoritário da franquia, o empresário Rubens Menin, da MRV e do Banco Inter, discursou na cerimônia. "Queremos fazer história no jornalismo brasileiro", disse. Ele apresentou três razões para o investimento que está fazendo no canal (estima-se em R$ 300 milhões).

Segundo Menin, um canal de notícias pode ajudar o Brasil a eliminar obstáculos e gargalos que atrapalham o desenvolvimento econômico. Também pode ter um papel na retenção de talentos que deixam o país todo ano em busca de oportunidades no exterior. E, por fim, disse, pode ajudar a promover projetos de filantropia.

Menin falou bastante sobre filantropia. Apresentou dados sobre esta prática nos Estados Unidos e no Reino Unido em comparação com o Brasil, onde ela representa pífios 0,2% do PIB. Revelou que investiu R$ 50 milhões em filantropia nos últimos cinco anos e pretende investir R$ 100 milhões nos próximos cinco.

Na cerimônia de lançamento também foi esclarecido o número de jornalistas envolvidos no projeto: são 160. É menos do que foi divulgado inicialmente (200). É um time liderado por Douglas Tavolaro e estrelado por grandes nomes, com experiência na Globo e na Record, como Monalisa Perrone, William Waack e Reinaldo Gottino.

A festa foi prestigiada pelas principais autoridades do país: o presidente em exercício, Hamilton Mourão, o presidente do STF, Dias Tofolli, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia. Também compareceram os governadores de São Paulo, Rio, Minas e Distrito Federal.

Não é incomum isso ocorrer em grandes eventos de mídia, mas mostra que o projeto está sendo enxergado com seriedade. Em discursos curtos, os representantes dos três poderes enfatizaram a importância de uma imprensa livre e independente - não houve menções aos frequentes ataques do presidente Jair Bolsonaro a órgãos de imprensa.

Os executivos de duas empresas que já se comprometeram a anunciar na CNN Brasil, Santander e Ciello, discursaram na cerimônia. Apesar de presentes, representantes das operadoras de TV por assinatura que vão "carregar" o canal (Claro/Net, Sky, Vivo e Oi) não falaram em público.

A grade de programação deixa claro, como se esperava, que o canal aposta no noticiário ao vivo e quente. De segunda a sexta, são nove programas, entre 6h e 23h. Somando-se a alguns boletins de madrugada, a CNN Brasil ficará ao vivo diariamente por 17 horas e 30 minutos.

Tavolaro repetiu a informação que deu em janeiro de 2019, ao anunciar o projeto. "A CNN Brasil não será nem de esquerda nem de direita. Nosso negócio é o jornalismo profissional", disse. Também falou muito sobre as plataformas digitais; o canal vai estrear na internet duas horas antes de chegar à TV.

Questionado pela Folha sobre como um canal novo vai sobreviver num mercado em nítida retração como o da TV por assinatura, Tavolaro disse: "A CNN Brasil não é apenas um canal de TV por assinatura. Vamos atuar na TV por assinatura, no streaming, nas redes sociais e na internet. É uma emissora de jornalismo multiplataforma, moderna, com programação presente em todas as telas, sobretudo no digital. Estamos prontos para enfrentar as mudanças atuais da indústria de mídia".

Agora é ver o canal no ar.

Stycer recomenda
. Criticada, autora explica por que Padilha vai dirigir série sobre Marielle
. "Não podemos dar palco para Bruno", diz Gloria Perez sobre série engavetada
. Apesar de derrota no Ibope, Record aprova nova grade e aposta em aumento
. Fora da Globo, autor Aguinaldo Silva trabalha em nova série de TV

Melhor da semana
Após inquérito policial, redação do SBT quer Dudu Camargo fora do ar

Pior da semana
UOL Vê TV #19: Humor de Carioca a favor de Bolsonaro constrange público


Uma versão deste texto foi publicada originalmente na newsletter UOL Vê TV, que é enviada às quintas-feiras por e-mail. Para receber, gratuitamente, é só se cadastrar aqui.

Siga a coluna no Facebook e no Twitter.

Mauricio Stycer