PUBLICIDADE
Topo

Defesa de Pamella comemora prisão de DJ Ivis: 'Uma vitória da Justiça'

Chegada de DJ Ivis em delegacia de Eusébio, no Ceará, após prisão preventiva feita ontem - Reprodução/Record TV
Chegada de DJ Ivis em delegacia de Eusébio, no Ceará, após prisão preventiva feita ontem Imagem: Reprodução/Record TV

Do UOL, em São Paulo

15/07/2021 08h35Atualizada em 15/07/2021 08h39

Os advogados que representam Pamella Holanda comemoraram a prisão do cantor Iverson de Souza Araújo, de 30 anos, o DJ Ivis, autor das agressões contra a companheira e que foram divulgadas por Pamella nas redes sociais no último domingo (11).

DJ Ivis é investigado por lesão corporal após agredir a mulher. A prisão na Delegacia Metropolitana da Polícia Civil de Eusébio é preventiva após mandato da Polícia Civil do Ceará.

Em comunicado ao UOL, os advogados Leonardo Barreto Lima e Priscila silveira viram na prisão preventiva um ato de justiça.

Este momento representa uma vitória da Justiça. Gostaríamos de ressaltar que o processo seguirá e continuaremos acompanhando o caso. Graças à coragem de Pamella, às autoridades que manifestaram apoio e à Delegacia Metropolitana do Eusébio e toda sua equipe, que desde o início, mesmo antes da repercussão nacional, sempre agiram de forma exemplar, com toda sensibilidade que esse tipo de caso necessita.

Os representantes ainda agradeceram a todos que deram algum tipo de apoio à Pamella após a denúncia e repercussão e desejaram que a atitude dela seja um exemplo para todas as mulheres em situação de violência doméstica.

Que a coragem dela sirva de inspiração para todas as mulheres vítima de violência.

Na terça-feira (13), Pamella agradeceu o apoio que vinha recebendo de artistas e influencers após a divulgação das imagens.

Que tudo isso encoraje mais mulheres a denunciar a violência doméstica. E fica meu apelo novamente: que não seja só comigo, mas com todas que tomam a decisão revestida de coragem de denunciar seus agressores, a serem ouvidas, assistidas e que todas as medidas asseguradas a nós pela Lei Maria da Penha, uma mulher cearense, diga-se de passagem, a quem dá o nome da Lei, sejam cumpridas, tomadas e respeitadas. Só assim esse cenário pode mudar no nosso país. Obrigada!

Em caso de violência, denuncie

Ao presenciar um episódio de agressão contra mulheres, ligue para 190 e denuncie.

Casos de violência doméstica são, na maior parte das vezes, cometidos por parceiros ou ex-companheiros das mulheres, mas a Lei Maria da Penha também pode ser aplicada em agressões cometidas por familiares.

Também é possível realizar denúncias pelo número 180 — a Central de Atendimento à Mulher, que funciona em todo o país e no exterior, 24 horas por dia. A ligação é gratuita. O serviço recebe denúncias, dá orientação de especialistas e faz encaminhamento para serviços de proteção e auxílio psicológico. O contato também pode ser feito pelo WhatsApp no número (61) 99656-5008.

A denúncia também pode ser feita pelo Disque 100, que apura violações aos direitos humanos.

Há ainda o aplicativo Direitos Humanos Brasil e a página da Ouvidoria Nacional de Diretos Humanos (ONDH) do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH). Vítimas de violência doméstica podem fazer a denúncia em até seis meses.

Caso esteja se sentindo em risco, a vítima pode solicitar uma medida protetiva de urgência.