PUBLICIDADE
Topo

Prior, Paula, Marcos Harter: Relembre ex-BBBs que viraram casos de polícia

Os ex-BBBs Paula Sperling, Felipe Prior e Marcos Harter  - Reprodução/Instagram
Os ex-BBBs Paula Sperling, Felipe Prior e Marcos Harter Imagem: Reprodução/Instagram

Marcela Ribeiro

Do UOL, no Rio

08/04/2020 04h00

Prior mal saiu do "BBB 20" e já estampou os noticiários policiais. Ele é investigado por duas acusações de estupro e uma de tentativa, mas nega que tenha cometido os crimes.

"Nunca cometi nenhuma violência sexual contra ninguém. Sou inocente. Depois que entrei na casa, as pessoas apresentaram uma denúncia pesada contra mim. Meus advogados estão tomando todas as providências. Minha consciência está muito tranquila".

O Ministério Público de São Paulo pediu à polícia a instauração de um inquérito para apurar as denúncias contra o arquiteto.


O ex-BBB não é o único participante a virar caso de polícia. Relembre quem são os brothers que já passaram por isso!

Petrix

Petrix Barbosa - Reprodução/TV Globo
Petrix Barbosa
Imagem: Reprodução/TV Globo

O ginasta, participante do "BBB 20", é investigado após acusações de ter assediado sexualmente Bianca Andrade, a Boca Rosa, e Flayslane, dentro do reality show.

Petrix foi acusado de assédio em dois episódios diferentes. O primeiro, envolvendo Bianca, durante uma festa. O público pediu sua expulsão por ter chacoalhado a sister, que estava embriagada, e encostado em seus seios. Em outra festa, o ginasta foi acusado de esfregar a genitália em Flayslane.

A assessoria do ex-brother informa que ele "se colocou à disposição para contribuir com as autoridades em elucidar os acontecimentos ditos polêmicos". Segundo ela, "o atleta esclareceu que nunca teve a intenção de importunar, constranger e, tampouco, magoar ninguém".

Pyong Lee

Pyong - Reprodução / Internet
Pyong
Imagem: Reprodução / Internet

Pyong Lee ainda não prestou depoimento, mas também é investigado por possíveis abusos sexuais praticados dentro do reality show da Globo.

O público se revoltou com atitudes de Pyong em fevereiro, após ele tentar beijar Marcela durante uma festa do "BBB" e passar a mão no bumbum de Flayslane. No Twitter, as hashtags "Fora Pyong" e "Pyong Expulso" ficaram nos trending topics, os assuntos mais comentados da rede social.

A delegada Catarina Noble afirmou ao UOL que a abertura da investigação foi motivada por repercussão das redes sociais.

"A punição por importunação sexual é de 1 a 5 anos, mas vamos aguardar que ele [Pyong] saia do Big Brother para que possa prestar depoimento", informou a delegada, que também ouvirá as sisters Marcela e Flayslane.

Paula Sperling

Paula von Sperling - Reprodução/Instagram
Paula von Sperling
Imagem: Reprodução/Instagram

Durante o "BBB19", Paula fez uma série de comentários que foram considerados preconceituosos por vários internautas. Em papo com Diego e Hariany, a sister disse ter medo de Rodrigo França por ele ter contato "com esse negócio de Oxum" e garantiu: "Nosso Deus é mais forte".

A Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi) indiciou a ex-BBB por intolerância religiosa.

A vencedora do "BBB 19" prestou depoimento depois que saiu do programa. Ela chegou à delegacia acompanhada da irmã e de sua advogada, Mônica, e seu depoimento durou mais de duas horas. Paula deixou o local sem dar entrevistas e com o rosto coberto, além de cobrir as janelas do carro.

Em outubro do ano passado, o Ministério Público pediu o arquivamento do inquérito e Paula comemorou a decisão.

"Meu coração está cheio de alegria, pois quem me conhece sabe que nunca houve a intenção de ofensa em relação a nenhum integrante de reality ou sobre qualquer religião. Isso não é e nunca será da minha índole", disse ela.

Vanderson

Vanderson Brito - TV Globo/Divulgação
Vanderson Brito
Imagem: TV Globo/Divulgação

O participante foi desclassificado e teve que deixar o "BBB 19" após a abertura de um inquérito por denúncias de abusos feitas contra o biólogo em seu estado natal.

Vanderson foi intimado a depor na Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) de Jacarepaguá, no Rio, após ser acusado de importunação sexual, estupro e violência doméstica.

Em agosto do ano passado, ele foi inocentado da terceira denúncia contra ele, desta vez de agressão. O caso foi arquivado pelo MPAC (Ministério Público de Estado do Acre).

"Passei oito meses para ser ouvido. Sempre busquei a verdade e tinha certeza absoluta que isso aconteceria. Tirei um peso, é um alívio. É um recomeço", comemorou o professor e biólogo acreano.

Marcos Harter

Marcos Harter - Reprodução/R7
Marcos Harter
Imagem: Reprodução/R7

Em abril de 2017, o ex-participante do "BBB17" foi acusado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) de agredir Emilly de Araújo durante uma festa que aconteceu no reality show da Globo, que causou a expulsão dele.

Marcos Harter foi indiciado por lesão corporal com base na Lei Maria da Penha e prestou depoimento um dia antes da final do "BBB".

Em entrevista ao programa "Superpop", o cirurgião afirmou não ter machucado Emilly em nenhum momento durante o confinamento. "Ela não ficou roxa mediante minhas ações. Tínhamos várias provas de resistência mais intensas do que a gente imaginava. A delegada disse que (a expulsão) foi uma decisão unilateral da Globo".

Essa semana, ele disse em seu Twitter que foi absolvido: "Três anos de espera: Absolvido. Nunca foi agressão", escreveu ele na postagem.

Laércio

Laércio de Moura  - Reprodução/TV Globo
Laércio de Moura
Imagem: Reprodução/TV Globo

O ex-participante do "BBB 16" foi condenado pela Vara de Infrações Penais contra Crianças, Adolescentes e Idosos do Foro Central de Curitiba (PR), em agosto de 2017, a 12 anos de reclusão pelos crimes de estupro de vulnerável e armazenamento de material contendo cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente.

O processo corre em segredo de Justiça.

Dhomini

Dhomini - Reprodução/TV Globo
Dhomini
Imagem: Reprodução/TV Globo

No "BBB 13", o participante fez uma declaração chocante, que revoltou o público. Ele afirmou que teria arrancado todos os dentes de um cachorro com um machado porque o animal o teria mordido três vezes.

Um inquérito foi aberto na ocasião para apurar a declaração de Dhomini no"BBB 13" pela polícia de Goiânia. De acordo com o delegado da Delegacia Estadual de Meio Ambiente (Dema), Luziano de Carvalho, o documento conclui que o crime não ocorreu e sugeriu o arquivamento do caso.

Daniel Echaniz

Daniel Echaniz - Divulgação/Globo
Daniel Echaniz
Imagem: Divulgação/Globo

Ele foi expulso do "BBB 12" acusado de "comportamento inadequado". No mesmo dia, policiais foram ao Projac, onde se localiza a casa do reality show, no Rio de Janeiro, apurar a suspeita de Daniel ter abusado sexualmente da participante Monique Amin durante uma festa dentro do programa.

O processo foi arquivado pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro em 20 de março. De acordo com o julgamento do TJ, não houve crime, pois Monique afirmou que a relação foi consensual.

Especial BBB20