PUBLICIDADE
Topo

Famosos

Harry e Meghan culpam tabloides por espalhar racismo; relembre brigas

Príncipe Harry e Meghan Markle em Londres - Samir Hussein / WireImage
Príncipe Harry e Meghan Markle em Londres Imagem: Samir Hussein / WireImage

Do UOL, em São Paulo

09/03/2021 04h00

Durante um trecho não divulgado da entrevista com Oprah, o príncipe Harry declarou que o racismo espalhado pelos tabloides do Reino Unido contra Meghan Markle foi um dos fatores que motivou sua mudança para o Canadá — e depois para os Estados Unidos.

"Foi uma grande parte da decisão", afirmou Harry ao ser questionado pela apresentadora norte-americana se o racismo estava relacionado com a mudança do casal.

Harry afirmou que, na sua opinião, o Reino Unido não é um país racista, mas os tabloides são. "Se a fonte de informação é completamente corrupta ou racista, ela atinge os corações e mentes da população do Reino Unido", declarou o príncipe.

O confronto entre Harry e Meghan e os tabloides britânicos não começou hoje e já gerou inclusive disputas judiciais. Relembre:

Pai de Meghan

De acordo com informações do The Guardian, Meghan Markle culpou os tabloides britânicos por prejudicarem seu relacionamento com o pai, Thomas Markle, alegando que ele recebeu "pagamentos significativos" por fornecer comentários aos jornais.

Os advogados de Meghan, que se casou em maio de 2018 com o príncipe Harry, disseram que ela e Thomas "tiveram um relacionamento muito próximo de pai e filha durante toda a infância e permaneceram próximos até que há três anos ele passou a ser visado por tabloides britânicos intrusos".

Guerra judicial

A imprensa britânica chegou a vazar uma carta pessoal que Meghan teria enviado a seu pai, o que fez com que a Duquesa de Sussex movesse um processo judicial contra o tabloide The Mail on Sunday.

Na época, Harry afirmou em comunicado que ele e a mulher foram forçados a tomar uma atitude diante do que chamou de "campanha implacável" de determinados veículos da imprensa britânica.

"Perdi minha mãe e agora vejo minha esposa sendo vítima das mesmas forças poderosas", declarou lembrando que a perseguição que sua mãe, a princesa Diana, enfrentou dos tabloides. Ela morreu em um acidente de carro, em 1997, fugindo de paparazzi, em Paris.

Meghan venceu a disputa judicial em fevereiro. A mulher do príncipe Harry foi "razoável em sua expectativa de que os conteúdos da carta se manteriam privados", segundo o juiz Warby, que presidiu o caso no Reino Unido. A publicação do Mail on Sunday "violou essa expectativa".

A Duquesa pediu uma indenização de 1,5 milhão de libras (aproximadamente R$ 12 milhões).

Rompendo relações

Em abril de 2020, os dois anunciaram a editores de quatro tabloides do Reino Unido que cortariam relações com as publicações sensacionalistas. Em comunicado ao The Sun, Daily Mail, Mirror e Express, o casal acusou os jornais de terem publicado histórias "tendenciosas, mentirosas e invasivas muito além do razoável".

Harry e Meghan afirmaram que não haveria mais "nenhuma colaboração" da parte deles com estes veículos e isso "não se trata de evitar as críticas, nem de calar o debate público, ou censurar informações fielmente contrastadas".

Bullying contra funcionário

Na semana passada, o tabloide The Times Of London noticiou uma acusação de assédio e bullying de um ex-funcionário do palácio de Kensington contra Meghan.

A Duquesa sempre tem alguém como seu alvo principal. Ela está fazendo bullying com [os nomes foram omitidos pelo jornal], e buscando formas de destruir a autoconfiança dela. Recebemos denúncias e mais denúncias de pessoas que testemunharam comportamentos inaceitáveis da Duquesa em interações com [nome omitido].
Disse Jason Knauf na carta veiculada pelo jornal.

Em comunicado, o casal disse que Meghan ficou "entristecida" com a reportagem, classificando-a como um "ataque contra seu caráter".

Famosos