PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Flávio Ricco


Flávio Ricco

CNN Brasil fará cobertura especial sobre protestos nos Estados Unidos

Carol Nogueira apresenta a partir de hoje cobertura especial sobre protestos nos EUA - Divulgação/CNN Brasil
Carol Nogueira apresenta a partir de hoje cobertura especial sobre protestos nos EUA Imagem: Divulgação/CNN Brasil
Flávio Ricco

Jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003. colunaflavioricco@uol.com.br

Colunista do UOL

01/06/2020 20h15

Resumo da notícia

  • CNN Brasil escala Carol Nogueira para um programa especial a partir de hoje, às 23h
  • Esta cobertura especial ficará no ar enquanto durarem as manifestações
  • Floyd, um cidadão negro de 46 anos, morreu depois de ter sido imobilizado por um policial branco que pressionou o seu pescoço por mais de nove minutos

A CNN Brasil, a partir desta segunda-feira (1º), das 23h à 0h, apresentará um programa especial com a cobertura dos protestos nos Estados Unidos.

O "Breaking News" terá apresentação de Carol Nogueira.

No fim de semana, o canal de notícias dedicou aproximadamente 8 horas de cobertura ao vivo aos protestos nos Estados Unidos, além de flashes durante a programação.

A apresentadora ficará à frente desse trabalho enquanto durarem as manifestações.

Os EUA entraram no sexto dia de manifestações iniciadas depois da morte do segurança norte-americano George Floyd, asfixiado por policiais em Minneapolis.

A cidade foi o local onde os protestos tiveram início. A população pede justiça e o indiciamento dos outros policiais envolvidos no assassinato.

Domingo, a cidade de Minneapolis teve novos atos. Um homem com um caminhão avançou contra os manifestantes e acabou se ferindo. Ele foi preso.

Nova York, Chicago, Boston e San Diego também registraram manifestações com confrontos. A Casa Branca, em Washington, novamente foi rodeada por manifestantes.

Por conta dos atos que acabaram causando incêndios em prédios e em carros da polícia nos últimos dias, pelo menos 40 cidades do país adotaram o toque de recolher e lojistas anunciaram o fechamento de lojas. O país é tomado por protestos antirracismo.

Floyd, um cidadão negro de 46 anos, morreu depois de ter sido imobilizado por um policial branco que pressionou o seu pescoço por mais de nove minutos, mesmo quando não respondia mais. O vídeo de Floyd dizendo "eu não consigo respirar" comoveu os Estados Unidos e desencadeou uma onda de protestos. A repercussão foi enorme no mundo todo.

*Colaborou José Carlos Nery

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Flávio Ricco