Coluna

Flávio Ricco

Série dos Mamonas Assassinas tem problemas de dinheiro e roteiro

Tina Coelho/CB.Press
Mamonas Assassinas na última apresentação, no estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF), em março de 1996 Imagem: Tina Coelho/CB.Press
Arte/UOL
Flávio Ricco

Jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003. colunaflavioricco@uol.com.br

Colunista do UOL*

20/06/2016 07h01


A Record tem procurado administrar todas as dificuldades que acabaram por paralisar as gravações da série “Mamonas Assassinas”. Elas não foram e continuam não sendo poucas. Primeiro que tem um problema de dinheiro. A liberação de R$ 4 milhões pela Ancine não aconteceu até agora, porque o processo ainda está em fase de conclusão.

Mas por outro lado também existem dificuldades com o roteiro. Aquilo que inicialmente foi escrito pelo autor Carlos Lombardi, ressaltando a intimidade ou comportamento dos integrantes do grupo e parentes mais próximos, não foi aprovado pelos familiares.



A própria direção da Record precisou intervir e deixar esclarecido a todos que o propósito deste trabalho é prestar uma homenagem ao grupo que, durante certo período, foi importante para a nossa música. E não o de expor a ficha corrida ou mesmo escancarar particularidades da vida de ninguém.

Pelo menos este foi o discurso usado em algumas ocasiões.

Uma coisa é isso...

O projeto da série “Mamonas Assassinas” não está cancelado. Nem a Record e muito menos a produtora OSS chegam a cogitar esta possibilidade.

No entanto, pelos motivos acima expostos, fica bem complicado assegurar que ele ainda virá a ser produzido.

... Mas tem o lado da família

Certo é que existe, sim, forte contrariedade por parte dos familiares dos “Mamonas” sobre a linha que se pretende dar ao seriado. As divergências são muitas.

Por parte deles, há a desconfiança de que, em vez de se prestar uma homenagem ao grupo, existe a pretensão de carregar bem na tinta em determinadas passagens, apenas para conseguir audiência fácil.

Fernando Cavalcanti/Folha Imagem
Dinho, vocalista do Mamonas Assassinas Imagem: Fernando Cavalcanti/Folha Imagem
Entre os trechos

Determinadas passagens da vida dos integrantes dos “Mamonas”, entendem os familiares, não devem ser abordadas na série.

Entre elas, a fase do Dinho como “stripper”, um roubo a posto de gasolina para gravar CD – que a Record aceita transformar em roubo a restaurante, e dar as este trabalho o encaminhamento de um pastelão.

Complicador

Por enquanto, o discurso é o mesmo. As duas partes, embora já tenham colocado os seus advogados a postos, admitem que o entendimento ainda será possível.

Para a Record, tirar os diretores Marcelo Silva e Hiran Silveira da linha de frente já será uma boa iniciativa. Há um forte desgaste com eles. E, do lado dos familiares, entender que alguns fatos, que a série pretende abordar, são de conhecimento público.

Uma pena

A Eurocopa em curso tem demonstrado aos diretores da Bandeirantes o quanto foi errada a decisão de parar com as transmissões de futebol.

Em muitos desses jogos, ela tem conseguido o segundo lugar de audiência. As seleções participantes estão entre as principais do mundo.

Como pode?

As mesmas cenas de “Sassaricando”, exibidas em 1987, agora adaptadas para “Haja Coração” têm encontrado problemas com a “classificação indicativa”.

O que era exibido há 29 anos, hoje não é permitido. Complicado entender.

O 2016 da Band

A Bandeirantes tem o “MasterChef” com profissionais, como uma das principais atrações deste ano. Acredita-se que a disputa entre os participantes, por se tratar de chefs na ativa, será muito mais intensa.

A sua estreia irá acontecer imediatamente após o encerramento do “X-Factor”.

Divulgação
A jornalista e apresentadora Ana Paula Padrão, que apresenta o MasterChef Imagem: Divulgação
Está conversado

No intervalo de um “MasterChef” para o outro, de acordo com o que vem sendo combinado entre Diego Guebel e Ana Paula Padrão, ela voltará a fazer um trabalho para o jornalismo.

Algo como uma série especial para o “Jornal da Band”, por exemplo, ou até um “Band Repórter” especial.

Start olímpico

A Globo já tem definido que Galvão Bueno será a sua primeira e mais importante voz na Olimpíada.

Toda a cerimônia da abertura no Maracanã, no dia 5 de agosto, 20 horas, será transmitida por ele, contando com a participação de outros apresentadores e repórteres do esporte e do jornalismo.

Também é certo que

Cleber Machado e Luiz Roberto, pela ordem os outros dois titulares esportivos da Globo, além dos Jogos Olímpicos, também irão continuar com as suas atenções voltadas para o futebol doméstico.

Como se sabe, o campeonato vai prosseguir com suas rodadas no meio e final das semanas também durante a Olimpíada.

Divulgação
Patrícia Poeta é uma das apresentadoras do programa "É de casa", da Rede Globo Imagem: Divulgação
Caminho

Em entrevista a revista Estação Aeroporto que circula nas principais salas de embarque do país, a partir desta semana, Patrícia Poeta revela que um parente com necessidades especiais influenciou decisivamente na opção de trabalhar como comunicadora.

“Brincava [com ele] de apresentadora”, conta a jornalista.

Bate – Rebate

•       Com o “MasterChef” completamente gravado, falta apenas o anúncio ao vivo do vencedor, que acontecerá antes do início dos Jogos Olímpicos.
•       As mudanças realizadas pela Rede TV! na sua grade ainda não deram resultados...
•       ... Mas a sua direção entende que ainda é cedo para uma melhor avaliação.
•       Os estúdios Quanta, na Vila Leopoldina, em São Paulo, irão receber as gravações do “X-Factor”. É oficial...
•       ... A Band já realizou algumas produções nesse espaço, principalmente novelas.
•       Chama a atenção o visual adotado pelo diretor Del Rangel nas redes sociais...
•       ... Um estilo um tanto parecido com o do personagem Gandalf, de O Senhor dos Anéis. Todo branco.
•       Wesley Safadão também gravou para o novo programa do Ceará no Multishow...
•       ... O encontro aconteceu em um rodeio de Americana, em São Paulo.
•       O “Estúdio I”, que no passado se caracterizou por abordar assuntos mais variados, virou “Estúdio Lava Jato”. Já de muito tempo não sai do mesmo tema.

C´est fini

A Globo conquistou três prêmios do PromaxBDA Promotion Marketing & Design Global Awards, a principal premiação mundial no segmento de marketing televisivo, que destaca trabalhos de excelência nas plataformas On Air, online e on demand. O anúncio aconteceu em Nova York na semana passada.

A Globo foi a única emissora brasileira indicada ao prêmio e recebeu dois ouros: na categoria Programa Open dedicada às aberturas, por “Amorteamo”; na categoria News Program Informational Graphics pelas inserções gráficas virtuais do “Fantástico”, e na categoria Live Event Campaign, por meio das chamadas do Oscar 2015, o canal ficou com a prata.

Ficamos assim. Mas amanhã tem mais. Tchau!

*Colaboração de José Carlos Nery

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Topo