Coluna

Flávio Ricco

Funcionários da RedeTV! reclamam de trabalhar mais próximos a antenas

Reprodução
Imagem: Reprodução
Arte/UOL
Flávio Ricco

Jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003. colunaflavioricco@uol.com.br

Colunista do UOL*

21/07/2016 07h00

A RedeTV! mudou a sede dela no Rio de Janeiro. Não saiu da Torre do Rio Sul, mas desceu dois andares, do 35º para o 33º, trocando um aluguel de R$ 100 mil/mensais por outro de R$ 30 mil.

Nada mais justo, nos tempos como os de agora, buscar um menor preço.

O problema é que, segundo queixas apresentadas à coluna, o lugar onde 15 pessoas agora estão alocadas é na mesma área das antenas, que transmitem a programação para o morro do Sumaré e São Paulo, por consequência.

As antenas são enormes e por determinação da Anatel devem ficar em um local isolado, porque emitem ondas de radiofrequência que podem provocar danos à saúde de qualquer pessoa.

De acordo com os funcionários, entre tantos outros problemas, apenas uma parede de gesso foi construída como divisória entre a sala e a área das antenas, quando o correto seria se fazer uma de chumbo para evitar o contato.

O diretor Conrado Nobili, segundo se informa, mesmo avisado dos riscos que existem, teria dito que isso é bobagem e não tomou nenhuma providência. Curioso é que ainda no 35º, quando sua sala era vizinha a antena, existia uma divisória de chumbo.

Procurada, para comentar essa denúncia, a comunicação da RedeTV! preferiu não se manifestar.    

*Colaborou José Carlos Nery

Leia a coluna na íntegra

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Topo