Coluna

Flávio Ricco

Depois da Olimpíada, vem o horário político como próxima atração

REUTERS/Pilar Olivares
Rio 2016 termina no próximo domingo Imagem: REUTERS/Pilar Olivares
Arte/UOL
Flávio Ricco

Jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003. colunaflavioricco@uol.com.br

Colunista do UOL*

17/08/2016 07h01

A realização dos Jogos Olímpicos, como era de se imaginar, conseguiu mexer com o hábito do telespectador e elevou de maneira bem interessante o número de aparelhos ligados nas mais diferentes faixas de horário.

E até domingo deve continuar sendo assim, quando, aí sim, teremos a festa de encerramento.

Na linha da vida que não para ou do tudo que é bom dura pouco, já na sexta-feira da próxima semana, dia 26, teremos o início da propaganda política.

No rádio, que ainda nos dias atuais carrega o peso do cada vez mais sem sentido “Hora do Brasil”, as veiculações irão ao ar das 7h às 7h10 e das 12h às 12h10, enquanto na TV das 13h às 13h10 e das 20h30 às 20h40, em ambos os casos de segunda a sábado.

Isso, mais 70 minutos ou 140 inserções dos partidos, de segunda a domingo, ao longo das programações, muito além do que normalmente é veiculado pelos maiores e mais conhecidos anunciantes.

Desgaste

A garganta do Galvão Bueno, em suas mais recentes participações, tem apresentado sinais visíveis de desgaste. Difícil saber como vai chegar até domingo.

Então por que não poupar um pouco e se preservar para momentos em que a sua presença é indispensável?

Dispensável

A Globo tem um grupo de narradores perfeitamente capazes de fazer frente a todas as necessidades, o que torna dispensável essa onipresença do Galvão. Entre outros, Cléber Machado, em sua melhor Olimpíada, Luís Roberto e Rogério Corrêa.

Por exemplo: qual a necessidade da sua participação no “Jornal Nacional”?  O que ele faz ali que a Renata Vasconcellos não pode fazer?

Divulgação
Com Maria (Bianca Bin) atuando na reconciliação, Diana (Priscila Fantin) e Severo (Tarcísio Filho) terão um final feliz em "Êta Mundo Bom!" Imagem: Divulgação

Nada a ver

Existe um site, registrado como da Rede 21, que está com seu domínio à venda. Isto tem provocado diferentes interpretações.

Importante esclarecer que ele, o site, diferentemente da rede de emissoras, não pertence ao Grupo Bandeirantes. O registro é de uma outra pessoa.

Avesso do avesso

Na Band, o tal programa de viagens da Val Machiori é um assunto proibido. Não adianta perguntar e nem mesmo insistir, porque ninguém se atreve falar sobre ele.

Em compensação

Val Marchiori, através de uma agência de assessoria contratada, tem feito exatamente o contrário.

Ela mesma se encarrega de contar que “passou o fim de semana no México, ao lado do namorado Carlos Peyrelongue, e já embarcou para a Argentina, dando início às gravações de seu programa pela Band, o ‘Hello Mundo’”.

Na lista

Atualmente fazendo o Santo de “Velho Chico”, Domingos Montagner entrou na lista de nomes reservados para “O Que Nos Une”, título da próxima novela das 23h da Globo, escrita por Lícia Manzo.

Além dele, Fabiula Nascimento e Sophie Charlotte.

Alisson Valentim
O humorista Eduardo Sterblitch Imagem: Alisson Valentim
 Fonte segura

Há quem jure, de pés juntos, que o ex-“Pânico” Eduardo Sterblitch está com tudo acertado na Globo e deve começar a fazer seu primeiro trabalho na nova casa este ano, para ser levado ao ar no próximo.

Isso é dado como certeza.

Por sua vez

A Globo, consultada, admite que já está tudo conversado e ajustado com o Eduardo, só não informa se o contrato já foi assinado.

Sabendo como as coisas funcionam ou como, às vezes, deixam de funcionar, recomenda o bom juízo esperar pelas cenas do próximo capítulo.

Bate – Rebate

• Amanhã, o “Cartão Verde” da TV Cultura vai receber o técnico Muricy Ramalho.
• Na próxima terça-feira, a equipe do “Zorra”, parada desde o início dos Jogos Olímpicos, retoma seu expediente de trabalho na Globo...
• ... O programa, como aqui já se falou, vai perder uma das suas estrelas, Mariana Santos, para as novelas.
•  Valeu a briga do Fábio Porchat. Depois de alguma insistência, ele conseguiu um camarim no andar térreo da Record.
• O tênis, de muito tempo, vem se utilizando de recursos eletrônicos para que lances duvidosos não comprometam resultados das partidas...
• ... O vôlei, quadra e praia, em boa hora, passou a fazer o mesmo...
• ... Só o futebol, com a mentalidade atrasada de sempre, deixa toda essa responsabilidade nas mãos dos árbitros ...
• ... O mundo girou e esses senhores não se tocaram...
• ... A comunicação entre dirigentes, por mais absurdo que isso possa parecer, ainda é na base do fax.
• Atenção: algumas determinações serão tomadas, muito em breve, na Globo para evitar o comércio de capítulos das novelas...
• ... Prática de muitos anos, coisa de bandido, ela nunca esteve tão próxima do fim...
• ... Os responsáveis por isso serão enquadrados sob as penas da lei.

C´est fini

É de se louvar a iniciativa de algumas emissoras, casos da Globo com o “Adnight” de Marcelo Adnet, Record com o Fábio Porchat e a Band por meio do “X-Factor” em estrear programas num período dos mais complicados para a televisão. Termina uma Olimpíada e começa o horário político.

Isso é respeito com o telespectador.

Então é isso. Mas amanhã tem mais. Tchau!

* Colaborou José Carlos Nery
 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Topo