Coluna

Flávio Ricco

Duração das novelas é um caso ainda mais em discussão

Montagem UOL
"Velho Chico", da Globo, foi exibida em 173 capítulos; na Record, as duas fases de "Dez Mandamentos" foram a 244; e, no SBT, nenhuma das suas novelas infantis, como "Cúmplices de Um Resgate" fica menos de um ano no ar Imagem: Montagem UOL
Arte/UOL
Flávio Ricco

Jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003. colunaflavioricco@uol.com.br

Colunista do UOL*

31/10/2016 07h01

Autores da importância de Benedito Ruy Barbosa e Walther Negrão, quando chamados a falar sobre o assunto, têm criticado a insistência de se produzir novelas tão longas, sempre beirando a casa dos 180 capítulos.

A justificativa usada no passado, de que o aumento da duração era importante para diluição dos custos, aos poucos vai deixando de ser considerada. Os investimentos em séries tornaram questionáveis, aquilo que se usou como verdade absoluta durante muitos anos.

A própria Globo tem se prevalecido da faixa das 23h, uma ou duas vezes por ano, para exibição de novelas mais curtas, provando para ela mesma que este será o caminho a seguir para todos os outros horários.

A maneira de ver televisão foi se modificando no decorrer do tempo, assim como se amplificou a recusa do telespectador a toda e qualquer tentativa de empurrar no banho-maria, ou se valer do que hoje todos conhecem como “barriga”.

Rejeição, inclusive, já apontada em muitas oportunidades nos números de audiência. Se no cinema, duas horas são suficientes para exibição de um grande filme, torna-se inaceitável a televisão precisar de seis, sete ou até oito meses para contar uma história. 

Equação
O que emissoras como Globo, Record e SBT têm que buscar são maneiras de simplificar ou racionalizar suas produções.

Evidente que despesas com cidade cenográfica, pós-produção e efeitos especiais são sempre muito altas, mas é necessário também se buscar uma solução para elas.

Exemplos recentes
“Velho Chico”, na Globo, foi exibida em 173 capítulos, pouco mais de sete meses no ar. Record, nas duas fases de “Os Dez Mandamentos”, foi a 244 e, no SBT, nenhuma das suas novelas infantis fica menos de um ano no ar.

É um exagero que não se aceita mais.

Outro detalhe
A Globo estabeleceu um formato vencedor em suas novelas, que vigora há décadas, que é a exibição do último capítulo sempre às sextas-feiras e reprise nos sábados.

Por que inventar moda agora e fazer “Haja Coração” terminar numa terça, com reapresentação na quarta? “Totalmente Demais”, vale lembrar, foi concluída numa segunda com reprise na terça.

Foi algum estudo que levou a isso ou vamos que vamos para ver no que vai dar?

João Miguel Junior/Divulgação/TV Globo
Em cena prevista para ir ao ar no dia 10, em "A Lei do Amor", Mag (Vera Holtz) dá um tapa em Ana Luiza (Bianca Muller) depois que a neta decide enfrentá-la Imagem: João Miguel Junior/Divulgação/TV Globo
Falando em novela
“O Rico e Lázaro”, escrito desta maneira, foi definitivo como título da próxima atração religiosa da Record.

Vai substituir “A Terra Prometida” em fevereiro.

Decolando
Roteirista em ascensão na Globo, Daniel Adjafre, está às voltas com duas séries na emissora: “Cidade dos Homens”, em 4 episódios, e “A cara do pai”, em 16 capítulos.

Depois disso, ele vai voltar suas atenções para um roteiro de novela para as 19h, já bem encaminhado na casa.

Hora de conversar
Passou a eleição, agora com tudo decidido é possível falar da vergonha que foi o comportamento de algumas emissoras, em grandes capitais, na defesa dos seus candidatos.

Em Fortaleza, como caso mais gritante, a imparcialidade foi jogada no lixo. As TVs de lá, simples e descaradamente, levantaram bandeiras.

Fim de contrato
O contrato do canal Fox Sports com o comentarista Mauro Betting vence nesta segunda-feira, 31, e não será renovado.

A vida dele em São Paulo, que acabou impedindo sua mudança para o Rio de Janeiro, é apontada como motivo determinante.

Pula essa parte
O “The Voice Brasil” na Globo é sempre imbatível. Bons participantes e um programa que sabe prender a atenção de todo mundo.

Só precisava descobrir um outro jeito de identificar os candidatos. Em toda virada de cadeira ou final de música, as perguntas são sempre as mesmas: “qual o seu nome?”, “de onde você é?”, “canta há quanto tempo?”. Preguiça.

Ações sociais 
Os bastidores da televisão servirão de inspiração para o cenário da terceira edição do “Mobilize”, evento de retrospectiva social da Globo, marcada para o dia 24, no Espaço Tom Jobim, Rio.

Com direção de Gringo Cardia e Enrique Díaz, o formato do “Profissão Repórter” será aproveitado para relembrar as ações promovidas em 2016. Caco Barcellos participará como mestre de cerimônia.

Raphael Mesquita
Marieta Severo e Marco Nanini foram Nenê e Lineu em "A Grande Família" Imagem: Raphael Mesquita
Quase deu
Existiu mesmo a possibilidade de Marieta Severo e Marco Nanini voltarem a trabalhar como casal, depois de todo o sucesso em “A Grande Família”.

Eles fariam Carlota Joaquina e Dom João VI, numa participação especial em “Novo Mundo”, próxima das seis na Globo, só que questões de agenda acabaram por impossibilitar a escalação. Para o lugar deles, foram chamados Giulia Gam e Léo Jaime.

Foi que foi
Paula Fernandes, nessas últimas duas semanas, só não foi na TV Rodoviária.

No mais, esteve e por mais alguns dias continuará aparecendo em todos os programas, até o Teleton no próximo sábado. Todo e qualquer cantor ou cantora é assim mesmo, quando tem interesse não refuga nada.

Bate – Rebate
• Colaboradora de Daniel Ortiz em “Haja Coração”, Patrícia Moretzsohn tem duas sinopses de novelas, para 18h e 19h. Vai entregar em 2017.
• Na nova fase do “X Factor”, Fernanda Paes Leme está botando mais a cara no programa...
• ... Bem mais do que nas etapas anteriores. Além de atriz, tem tudo para se firmar como apresentadora.
• Além de São Paulo e Rio, a Globo está fazendo um trabalho para aumentar a audiência de “A Lei do Amor” em outros pontos...
• ... Também em Manaus, Vitória, Goiânia e Fortaleza existiram baixas importantes na sua faixa de exibição.
• “Ezel”, a nova novela turca da Band, com estreia dia 7 de novembro, tem características mais masculinas...
• ... A mocinha, que na verdade é um mocinho, corre atrás da justiça a novela toda, cheia de perseguições, investigação e tramas recheadas de suspense...
• ... Muito mais a ver com o que tem antes, Datena e “Jornal da Band”. 
• Léo Dias deu um ganho importante no “Fofocando”, do SBT...
• ... Pelo menos tem alguém agora dando notícias baseado em suas próprias fontes.
• O Mimo, festival gratuito de música e cinema do país, vai acontecer, no Rio, entre os dias11 e 13 próximos...
• Serão 20 shows, entre ele, Ney Matogrosso e os encontros de Jards Macalé e Otto, Simone Mazzer e Alice Caymmi, João Bosco e Hamilton Holanda.
• Diretor de produção na Record por muitos anos, Marcelo Trindade e depois de completar um trabalho pontual para a Endemol no projeto do Buddy Valastro, está pronto para alçar novos vôos.

C'est fini
Nos estados sem horário de verão, a Band está reprisando a novelinha “Dance Dance Dance”, com Juliana Baroni como protagonista,

Mostra os bastidores do mundo da dança e um romance adolescente, bem água com açúcar. Mas é o que tem.

Então é isso. Mas amanhã tem mais. Tchau!

*Colaborou José Carlos Nery

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Topo