Coluna

Flávio Ricco

Longa de suspense com Paolla Oliveira continua empacado

Estevam Avellar/Divulgação/TV Globo
Paolla Oliveira abriu mão do cachê no filme "Bala Sem Nome" Imagem: Estevam Avellar/Divulgação/TV Globo
Arte/UOL
Flávio Ricco

Jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003. colunaflavioricco@uol.com.br

18/01/2017 07h00

Devido à falta de recursos financeiros para finalizar os trabalhos, o filme “Bala Sem Nome”, estrelado por Paolla Oliveira, continua empacado.

Ele foi rodado no final de 2012, mas os seus responsáveis, entre eles o diretor Felipe Cagno, ainda não sabem quando poderão colocar o longa no circuito. “Simplesmente não temos dinheiro para acabar o filme”, esclarece Cagno, ainda às voltas com o processo de pós-produção e à espera de apoio.

Paolla, Sérgio Marone e Leopoldo Pacheco abriram mão do cachê para protagonizar “Bala Sem Nome”, que utilizou o processo conhecido como crowdfunding, de financiamento coletivo, no qual pessoas que adoram cinema ou do meio podem apoiar financeiramente um projeto.

Roteiro de suspense, conta a história de Suzana, vivida por Paola Oliveira. Ela, de repente, se encontra dentro de um cativeiro com seu namorado e os sequestradores a pressionam para que devolva um suposto dinheiro que eles acham que ela roubou.

*Colaboração de José Carlos Nery

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Topo