Coluna

Flávio Ricco

"A culpa é sempre do autor", diz Calmon, sobre fracasso de novelas

Alex Carvalho/Divulgação/Viva
O ator Antônio Calmon no "Donos da História", no Canal Viva Imagem: Alex Carvalho/Divulgação/Viva
Arte/UOL
Flávio Ricco

Jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003. colunaflavioricco@uol.com.br

Colunista do UOL

06/07/2017 07h00

Antônio Calmon, autor responsável por grandes sucessos como “Armação Ilimitada”, “Top Model” e “Vamp”, é o entrevistado da série “Donos da História”, do Viva, no próximo domingo, a partir das 18h30.

Seus últimos trabalhos foram a novela “Três Irmãs” (2008) e a série “Na Forma da Lei” (2010), e de lá para cá ele não conseguiu emplacar outros projetos na Globo.

Ele deveria sair da “geladeira” por meio de “Barba Azul”, prevista para o início de 2018, na faixa das 19h, mas a Teledramaturgia da casa acabou cancelando, porque os capítulos entregues não agradaram.

Durante a entrevista que vai ao ar neste fim de semana, Calmon declara que a fórmula de uma novela de sucesso não é uma ciência exata, mas sim uma aposta.

“Uma novela depende de vários fatores. Por exemplo, o autor pode errar feio. Mas uma novela pode ser destruída pelo casting, pela escolha de elenco. Ou de repente porque não teve uma produção devida”.

Mas reconhece que apesar destes “muitos fatores” que possam comprometer os resultados de um folhetim, o grande vilão, o responsável pela derrocada, nunca muda.

“[A novela] pode ser infeliz em vários aspectos. Mas a culpa é sempre do autor. Embora, quando a novela seja um sucesso, a glória é toda do autor. Acho isso errado. Quantas pessoas trabalham numa novela? 300? 400? É criação coletiva. Figurino, cenografia, os atores. Eles fazem as novelas”, avalia.

*Colaboração de José Carlos Nery

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Topo