Coluna

Flávio Ricco

Operadoras jogam duro: SBT, Record e Rede TV! não têm data de volta

Getty Images/iStockphoto
Imagem: Getty Images/iStockphoto
Arte/UOL
Flávio Ricco

Jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003. colunaflavioricco@uol.com.br

Colunista do UOL*

19/07/2017 07h00

Não está nada fácil um entendimento entre as emissoras da Simba Content e as operadoras de TV paga.

A maior parte delas (Net, Claro, Sky...) resolveu endurecer o jogo e não existe até aqui, data hoje, prazo nenhum cogitado para o restabelecimento dos serviços.

De acordo com informações de executivos das operadoras, nem mesmo a drástica redução no valor solicitado pelos canais abertos foi capaz de determinar um final feliz para o drama que se arrasta desde o apagão analógico, em 29 de março.

A recente intervenção de duas entidades que atuam na esfera da defesa do consumidor, Proteste e Inadec, também não surtiu efeito.

Para as operadoras, a impressão que se tem é que esses canais não estão fazendo falta. Vai daí que...        

Como se recorda, a Simba até aceitou o argumento da Proteste de que o retorno do sinal dos canais às operadoras seria um benefício aos assinantes desde que lhe fosse permitido continuar negociando com as operadoras pela remuneração do sinal de Record, SBT e Rede TV!.

Mas parece que faltou combinar com as operadoras. O grupo responsável por Net/Claro/Embratel, por exemplo, já declarou que Não Paga.

A Net/Claro, aliás, é bem transparente na questão: "as negociações com a Simba Content estão indo em um ritmo mais lento que o esperado. Nos deparamos com uma série de entraves e divergências, além daquelas de ordem financeira". 

*Colaboração de José Carlos Nery

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Topo